Fique de olho

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta sexta-feira

Mercados internacionais operam em baixa com PIB chinês no pior desempenho em 27 anos; no Brasil, guerra interna no PSL se acirra

(Shutterstock)

Os mercados internacionais operam majoritariamente em queda após a China informar que a expansão do seu PIB no terceiro trimestre foi a mais baixa desde o início da série histórica, iniciada em 1992. O Escritório Nacional de Estatísticas (NBS, na sigla em inglês) informou que a alta, entre julho e setembro, foi de 6% – na margem inferior da meta de crescimento de Pequim para este ano, de um intervalo entre 6% e 6,5%.

Não é surpresa o desempenho mais fraco, pois reflete o impacto da guerra comercial travada com os EUA. No entanto, veio ligeiramente abaixo das expectativas de analistas consultados pelo Wall Street Journal – alta de 6,1%. Dessa forma, o resultado acumulado dos nove primeiros meses deste ano da segunda maior economia global desacelera para uma expansão de 6,2%.

Em Nova York, os futuros apontam para um pregão de baixa, deixando para trás o otimismo da véspera, quando os investidores comemoravam o anúncio de entendimento entre o Reino Unido e a União Europeia a respeito do Brexit. A apreensão passa agora ao Parlamento britânico, que precisa ser convencido pelo premier Boris Johnson a apoiar o plano alinhado com a UE

PUBLICIDADE

Em relatório, a Eurasia Group disse que “uma derrota estreita na votação de sábado na Câmara dos Comuns, sobre o acordo do primeiro-ministro Boris Johnson, é agora o nosso cenário central”, conforme reporta a CNBC.

No Brasil, os investidores vão seguir atentos aos desdobramentos da crise instaurada dentro do partido do presidente Jair Bolsonaro. Após tentar destituir o Delegado Waldir da liderança do PSL na Câmara, Bolsonaro foi duplamente derrotado: não conseguiu trocar o deputado, ligado a ala do líder da sigla (Luciano Bivar), por seu filho, Eduardo, assim como viu cinco vice-líderes serem destituídos.

O PSL estuda ainda retirar o senador Flavio Bolsonaro e o seu irmão, Eduardo, respectivamente, do comando dos diretórios estaduais no Rio e em São Paulo. Como resposta, o presidente Bolsonaro tirou a antiga fiel aliada, a deputada Joice Hasselmann, ligada a Bivar, da liderança do governo no Congresso – a substituindo pelo senador Eduardo Gomes.

Na agenda econômica, a FGV informa o IGP-M, em sua segunda prévia de outubro, enquanto a CNI publica o Índice de Confiança do Empresário Industrial, às 10h. Lá fora, o Conferece Board traz, às 11h, os dados de indicadores antecedentes de setembro.

Já o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto cumpre agenda em Washington e terá reunião do Fundo Monetário Internacional (FMI) às 8:30. Suas falas serão observadas com atenção após os investidores começarem a precificar um corte mais agressivo na Selic na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) no final do mês.

Confira os destaques desta sexta-feira:

PUBLICIDADE

1. Bolsas Internacionais

Em meio à confirmação da desaceleração da expansão do PIB chinês, as bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em queda, com exceção de Tóquio. A China pode ter agora que intensificar os estímulos nos próximos dois ou dois trimestres, se quiser estabelecer uma meta de crescimento entre 5,5% e 6% para o próximo ano, escreveram analistas da Macquarie, reporta a CNBC.

Apesar do resultado do PIB, a produção industrial em setembro avançou 5,8%, acima das projeções. Já as vendas do varejo ficam em linha com as expectativas, fechando setembro com expansão de 7,8%.

Já as vendas de moradias na China, em valor, avançaram 10,3% entre janeiro e setembro, mostrando aceleração no setor imobiliário, uma vez que as vendas entre janeiro e agosto haviam exibido ganho anual menor, de 9,9%.

Na Europa, as bolsas operam nesta manhã majoritariamente em queda, no aguardo das definições sobre o Brexit, que agora precisa ser aprovado pelo Parlamento britânico – onde primeiro-ministro Boris Johnson busca garantir apoio majoritário.

O Partido Sindicalista Democrático da Irlanda do Norte (DUP) parceiro de coalizão do partido conservador de Johnson, por exemplo, afirmou que votará contra o acordo fechado com a União Europeia ontem.

Entre as commodities, os futuros do minério de ferro fecharam em alta, se recuperando das quedas recentes. Já o petróleo, após abrir em queda com dados da China, tem alta no início da manhã.

Veja o desempenho dos mercados, às 7h59:

*S&P 500 Futuro (EUA), +0,02%
*Nasdaq Futuro (EUA), -0,08%
*Dow Jones Futuro (EUA), estável

*DAX (Alemanha), +0,10%
*FTSE (Reino Unido), -0,08%
*CAC-40 (França), -0,38%
*FTSE MIB (Itália), +0,15%

*Hang Seng (Hong Kong), +0,18% (fechado)
*Xangai (China), -1,32% (fechado)
*Nikkei (Japão), -0,48% (fechado)

*Petróleo WTI, +0,89%, a US$ 53,41 o barril
*Petróleo Brent, +0,37%, a US$ 60,13 o barril

**Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian registram alta de 0,74%, cotados a 616,00 iuanes

*Bitcoin, US$ 7.935,77, -2,70%
R$ 33.114, -1,59% (nas últimas 24 horas)

LEIA MAIS:
• Temporada de resultados: confira as datas de divulgação das principais empresas da bolsa
• Bradesco aprova dividendos extraordinários de R$ 8 bilhões

2. Live de Bolsonaro

Numa tentativa de inverter a agenda negativa, que se assolou com a briga de poder dentro do seu partido – o PSL -, o presidente Jair Bolsonaro aproveitou sua tradicional live no Facebook para afirmar que vai terminar o seu mandato em 2022 com “menos de 10 milhões de desempregados”. “A ideia é diminuir ao máximo, mas temos que ser realistas. Vamos trabalhar nesse sentido por que o Brasil está recuperando a sua confiança.”

Ao lado do empresário Luciano Hang, fiel apoiador, disse que a economia está dando sinais de melhora e com isso a tendência é não ocorrer mais contingenciamento do Orçamento da União neste ano. Segundo ele, fala-se muito em contingenciamento do passado, mas, segundo observou, contingenciamento é deixar de gastar e se entrar recurso na economia, libera.

Bolsonaro aproveitou para falar dos números do Caged divulgados pelo Ministério da Economia que revelaram saldo positivo de 157.213 vagas no mês de setembro. Foi o melhor resultado para o mês desde 2013. O presidente destacou a criação de emprego no Nordeste. Hang palpitou ainda que no ano que vem serão criados quase 2 milhões de empregos.

O presidente voltou a falar da queda da inflação e da taxa de juros. Ele disse que a inflação neste ano ficará abaixo do centro da meta e observou a taxa básica de juros em 5,5% ao ano. Ele corrigiu o número dado na semana passada de efeito da queda da taxa de juros sobre a dívida pública. “Atualizei o número que dei na semana passada, a cada 1 ponto de queda da Selic, a redução da dívida é de R$ 27 bilhões”.

Bolsonaro afirmou ainda que a décima terceira parcela do Bolsa Família será paga também nos anos seguintes e não só em 2019, como prevê medida provisória assinada esta semana por ele. Segundo Bolsonaro explicou, o 13º do programa “está garantido para os outros anos”, pois “vai entrar na LOAS”, a Lei Orgânica da Assistência Social, que tem um orçamento específico e concede benefícios a pessoas de baixa renda.

Bolsonaro ainda lembrou que a decisão de conceder o adicional natalino vai aumentar o valor previsto para o Bolsa Família neste ano para R$ 33 milhões – R$ 2,9 bilhões a mais que o inicialmente programado para o ano antes da assinatura da MP do 13º.

3. PSL

Em meio à disputa de poder dentro do PSL – que tem por trás os milionários recursos que a sigla tem direito por conta do fundo partidário –, a temperatura entrou em ebulição com a divulgações de gravações e reviravoltas na indicação da liderança da sigla na Câmara.

Em uma delas, o Delegado Waldir, que tentou ser derrubado pelo grupo liderado por Bolsonaro, mas se manteve na posição, após o presidente da sigla, Luciano Bivar, articular uma nova votação, entre os deputados do PSL, mantendo-o no cargo, ameaçou “implodir” o presidente da República.

“Não tem conversa, eu implodo o presidente, cabo, cara. Eu sou o cara mais fiel a esse vagabundo”, afirmou, em referência a Bolsonaro, em áudio gravado na quarta-feira, dia 16, revelado pelo site R7. Ontem, porém, recuou das ameaças: “Isso passou. Nós somos Bolsonaro. Somos que nem mulher traída, apanha mais mesmo assim volta ao aconchego.”

Em outra gravação vazada, feita por um correligionário, Bolsonaro articulava a substituição de Waldir da liderança do PSL. O conteúdo foi confirmado pelo presidente, que confirmou ter falado com alguns parlamentares. “Me gravaram? Deram uma de jornalista?”, questionou, emendando que “se alguém grampeou telefone, primeiro é uma desonestidade. Eu não trato publicamente sobre esse assunto (crise do PSL)”, disse.

Adicionalmente, além de ver preterida sua indicação ao cargo de líder do PSL na Câmara, a queda-de-braço interna com o PSL enfraqueceu ainda a pretensão de Eduardo Bolsonaro ser indicado ao cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos.

Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, Bolsonaro informou ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre, que vai deixar a nomeação de lado. Pessoas próximas ao presidente disseram que a indicação à liderança na Câmara seria uma espécie de “saída honrosa”.

A coluna Painel da Folha diz que a briga interna do PSL fragilizou a imagem do presidente e de seus aliados no Congresso. A tentativa de indicar seu filho Eduardo e ser derrotado foi vista como erro crasso.

“Se ele entra, tem que entrar pra matar”, explica um dirigente de centro-direita. Já a sequência de gravações ocultas maculou o PSL inteiro, acrescenta a Folha, diante da percepção que se trata de um aglomerado de “gente inconfiável, sem palavra, sem ética nem lealdade”.

4. Produção da Petrobras

Com o auxílio do ramp-up de novas plataformas, a Petrobras conseguiu bater novos recordes de produção diários, deixando para trás as dificuldades enfrentadas no trimestre anterior em algumas áreas de produção e reforçando sua perspectiva para 2019.

Em relatório divulgado ontem à noite, informou que a produção atingiu novo recorde mensal de 3 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed), além de um novo recorde diário de 3,1 milhões de boed alcançados no mês de agosto. “Já a produção operada atingiu o recorde mensal de 3,7 milhões de boed no mesmo mês”, apontou.

Segundo a empresa, com o resultado, a petroleira mantém sua trajetória “para o cumprimento da meta de produção anual, em 2,7 milhões de boed, com variação de 2,5% para mais ou para menos”.

Ao ampliar a produção de petróleo e gás natural no terceiro trimestre deste ano, para 2,87 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d), a Petrobras abriu caminho para que outras empresas se interessem pelo investimento no Brasil, diz Edmar Almeida, professor do Grupo de Economia da Energia (GEE) da UFRJ. Em agosto, especialmente, a produção mensal foi recorde, de 3 milhões de boe/d.

“A Petrobras está atravessando um momento muito positivo com relação ao seu desempenho operacional. Isto é muito bom para todo o setor de óleo e gás do País porque aumenta a confiança no potencial de crescimento do setor”, disse ele, ao avaliar o relatório de produção e vendas divulgado pela estatal.

Almeida destaca ainda que o “bom desempenho operacional é uma dimensão fundamental para a recuperação da empresa”, que entrou em crise em 2014, após o preço da commodity despencar no mercado internacional e ainda ser alvo da Operação Lava Jato, que investigou escândalos de corrupção envolvendo a empresa.

O bom desempenho operacional da companhia petroleira deve ser revertido em resultado financeiro no terceiro trimestre, acrescenta o professor da UFRJ.

5. Noticiário Corporativo

O Banco do Brasil e o FI-FGTS levantaram cerca de R$ 5,8 bilhões na oferta de ações do banco estatal, disseram pessoas familiarizadas com a transação, segundo a Bloomberg. O preço por ação do BB na oferta foi de R$ 44,05. Pouco mais de metade das ações vendidas na oferta vieram do FI-FGTS, administrado pela Caixa Econômica Federal. O restante foi vendido pelo próprio Banco do Brasil, que possuía as ações em sua tesouraria.

A Latam Brasil fechou com a Qatar Airways uma ampliação de seu acordo de codeshare, que permite que empresas transportem passageiros uma da outra. Agora bilateral, a parceria proporcionará aos clientes da Qatar Airways conexões para destinos em todo o Brasil e América do Sul, enquanto os passageiros da Latam que viajam de São Paulo a Doha poderão acessar mais de 25 destinos no Oriente Médio, Leste da África e Sul da Ásia.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que vai tentar votar a Lei de Saneamento nos próximos 15 dias e devolver para apreciação do Senado. Ele disse estar bastante otimista em relação a aprovação da Lei do Saneamento e com a reforma administrativa, que trará maior eficiência para a administração pública.

Já o Bradesco aprovou dividendos extraordinários de R$ 8 bilhões, enquanto o BB realizou oferta de ações.

(Com Agência Estado, Agência Brasil e Bloomberg)

Não existia, agora existe: conheça o primeiro MBA em Ações e Stock Picking do Brasil