Fique de olho

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta sexta-feira

Dados de emprego nos EUA, reunião de Bolsonaro com Guedes e presidente da Petrobras sobre combustíveis, estreias na B3 e mais destaques desta sexta

SÃO PAULO – Enquanto a sessão é de leves ganhos para os principais índices mundiais, com os investidores à espera do relatório de emprego de janeiro nos EUA, por aqui o noticiário político novamente rouba a cena.

Isso após o presidente Jair Bolsonaro convocar reunião com o ministro Paulo Guedes e o CEO da Petrobras, Roberto Castello Branco, para discutir preços de combustíveis. Em live na véspera, Bolsonaro negou interferência na Petrobras, mas afirmou que deseja “colocar em pratos limpos” a composição do custo do combustível e diz esperar que saia “uma proposta ou um projeto de lei” do encontro.

No radar corporativo, atenção ainda para as estreias da Mobly e da Mosaico na B3. Confira os destaques:

1.Bolsas mundiais

As bolsas europeias têm altas modestas, com investidores acompanhando dados sobre a vacinação e expectativa quanto à perspectiva de normalização das atividades.

Ações dos setores de viagem e lazer têm as maiores altas, de cerca de 1,2%, enquanto empresas de telecomunicações caem.

A agência regulatória da União Europeia afirmou na quinta (4) que estava analisando dados sobre tratamentos terapêuticos com anticorpos para alguns pacientes, com produtos desenvolvidos pelas farmacêuticas Regeneron e Eli Lilly.

No noticiário corporativo, há preocupação quanto à falta de semicondutores para a indústria automotiva, após Ford e Stellantis anunciarem cortes de produção devido ao problema. A fornecedora americana Robert Bosch e a fabricante de chips Infineon divulgaram avisos sobre o problema.

No radar de resultados, atenção para o BNP Paribas, que divulgou um faturamento de 1,59 bilhão de euros no quarto trimestre de 2020, superando as expectativas de analistas ouvidos pela Refinitiv, de 1,2 bilhão de euros, impulsionando as ações do banco.

PUBLICIDADE

Os índices futuros americanos operam perto da estabilidade, com investidores aguardando a divulgação de dados sobre mercado de trabalho.

No noticiário sobre vacinas, a Johnson & Johnson anunciou na quinta-feira (4) que requisitou à FDA (agência americana responsável pela liberação de medicamentos e alimentos) a autorização para uso emergencial de sua vacina de dose única, e afirmou que irá fazer o mesmo junto a autoridades europeias nas próximas semanas.

O índice MSCI ACWI, que reúne os 50 maiores mercados do mundo, teve mais cedo alta de 0,2%, a 668,07 pontos, se aproximando do recorde de 670,82 pontos atingido há duas semanas.

Já o mercado acionário da China fechou a semana em alta, com os investidores encontrando suporte em uma recuperação econômica contínua, embora as tensões sino-americanas continuem preocupando.

Os investidores seguem operando com base na recuperação econômica. Dados mostraram no fim de semana que a atividade industrial da China cresceu em janeiro, em linha com a retomada, mas no ritmo mais fraco em cinco meses após novas infecções por coronavírus levarem a lockdowns. As preocupações com as tensões sino-americanas, no entanto, reduziram os ganhos. Os Estados Unidos estão deliberadamente “criando tensão” e prejudicando a paz e a estabilidade, disse o Exército da China, depois de um navio de guerra norte-americano ter navegado pelo Estreito de Taiwan.

Confira o desempenho dos principais índices às 7h40 (horário de Brasília):

Estados Unidos
*S&P 500 Futuro (EUA), +0,44%
*Nasdaq Futuro (EUA), +0,31%
*Dow Jones Futuro (EUA), +0,46%

Europa
*Dax (Alemanha), +0,25%
*FTSE 100 (Reino Unido), +0,11%
*CAC 40 (França), +0,97%
*FTSE MIB (Itália), +1,37%

PUBLICIDADE

Ásia
*Nikkei (Japão), +1,54% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), +0,6% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), +1,07% (fechado)
*Shanghai SE (China), -0,16% (fechado)

Commodities e bitcoin
*Petróleo WTI, +0,58%, a US$ 56,81 o barril
*Petróleo Brent, +1,05%, a US$ 59,45 o barril
*Bitcoin, +2,09%, a US$ 37.441,91
Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com alta de 4,20%, cotados a 1004,5 iuanes, equivalente hoje a US$ 155,28 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,47

2. Agenda de indicadores

Às 8h, a FGV divulga o índice de inflação IGP-DI, relativo a janeiro.

Às 10h30 são divulgados dados sobre a variação na folha de pagamento, a revisão líquida da folha de pagamento de dois meses, a taxa de desemprego, a taxa de subemprego e a média de ganhos por hora nos Estados Unidos. Segundo estimativa do consenso Bloomberg, a estimativa é pela criação de 100 mil vagas de emprego e manutenção da taxa de desemprego a 6,7%.   No mesmo horário, é divulgada a balança comercial do país relativa a dezembro.

3. Possibilidade de novo auxílio e indicação de Bia Kicis

Após uma reunião com o novo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), o ministro da Economia, Paulo Guedes, admitiu, na noite de quinta, a possibilidade de um novo auxílio emergencial, que alcançaria metade dos cerca de 64 milhões de beneficiários contemplados em 2020.

“O auxílio emergencial, se nós dispararmos as cláusulas necessárias, em um ambiente fiscal robusto, já mais focalizadas, em vez de 64 milhões, pode ser a metade disso, porque a outra metade já retorna aos programas sociais já existentes e isso vamos nos entender rapidamente (…) “A pandemia nos atacando de novo, temos o protocolo. Se o Congresso aciona o estado de emergência ou calamidade, temos condições de reagir (…) Se apertarmos o botão da calamidade pública, podemos atender algumas coisas, travando outras”, disse o ministro.

Segundo reportagem de capa do jornal O Globo, com o fim do auxílio emergencial, supermercados sentem um freio nas vendas. Além disso, após uma sequência de dez meses de ganhos a caderneta de poupança fechou o mês de janeiro com a saída de R$ 18,15 bilhões, um recorde. É o maior volume de retiradas para um único mês na série histórica do Banco Central, iniciada em janeiro de 1995.

Além disso, o boletim Mapa de Empresas, divulgado pelo Ministério da Economia, aponta a abertura de 3,36 milhões de novas empresas em 2020, o maior volume desde 2010. Dessas, 77% eram MEIs (microempreendedores individuais), indicando a busca de alternativas em meio à pandemia. Com isso, o estoque chegou a 19,9 milhões de empresas, também um recorde. Dados parciais indicam a marca de 20 milhões de empresas oficialmente em atividade. Ao final de 2020, eram 14,4 milhões de microempresas.

PUBLICIDADE

E em entrevista ao jornal Valor, a deputada Bia Kicis (PSL-DF) afirmou que está confiante de que assumirá o comando da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), porque esse seria um compromisso do novo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). “Confio que o acordo firmado vai ser respeitado porque confio que o presidente Arthur Lira é um homem de palavra. Todo mundo fala que ele é, é a marca registrada dele, então eu confio”, afirmou.

Mais cedo nesta semana, Kicis anunciou nas redes que é o nome escolhido para a CCJ, mas a indicação tem sofrido resistência. Kicis é uma apoiadora fiel de Bolsonaro, crítica ao uso de máscaras e a medidas de distanciamento social, motivo de investigação do Ministério Público Federal.

Ela também é investigada no inquérito dos atos antidemocráticos, autorizado pelo STF (Supremo Tribunal Federal), que apura a organização de manifestações de simpatizantes de Bolsonaro a favor do fechamento do Congresso, do STF e de um golpe militar.

Kicis afirmou que, no comando da CCJ, daria prioridade para a reforma administrativa. Em seguida, daria espaço para a pauta de costumes e um projeto que tornaria crime de responsabilidade e, portanto, sujeito a impeachment, um ministro do Supremo tomar decisões que avançassem sobre competências do Legislativo.

“Esse projeto eu faço questão. Sou a favor de que o Parlamento tenha seu poder respeitado. Isso é errado? Se for eu faltei nessa aula em que era proibido defender a separação dos três Poderes (…) Nunca ataquei o Supremo, mas não quero que o Supremo me ataque e usurpe a minha competência [como deputada]”, afirmou.

4. Reunião de Bolsonaro com ministros e presidente da Petrobras

Pressionado pelos caminhoneiros devido ao aumento do preço do diesel, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que deseja “colocar em pratos limpos” a composição do custo do combustível. Ele deve discutir hoje o assunto com ministros Paulo Guedes (Economia), Tarcísio de Freitas (Infraestrutura), Bento Albuquerque (Minas e Energia), e o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco. Da reunião, Bolsonaro diz esperar que saia “uma proposta ou um projeto de lei”.

“Ninguém está interferindo na Petrobras, mas vocês têm que saber qual a composição do preço final, por exemplo, do diesel”, afirmou, em transmissão ao vivo nas redes sociais.

Bolsonaro afirmou que deseja “tornar a questão pública”. Ele disse que, segundo a Petrobras, o preço varia de acordo com a cotação do dólar e do barril de petróleo. Para o presidente, contudo, não é válido comparar o preço do diesel no Brasil com países do G20, composto pelas maiores economias mundiais, ou com países do Brics, bloco econômico de países de economias emergentes. “São realidades diferentes.”

Bolsonaro disse esperar que o Congresso aprove a incidência do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o preço do diesel na refinaria – e não na bomba, como ocorre atualmente. Ele sugeriu ainda a possibilidade de que a cobrança tenha um valor fixo por litro de combustível, a exemplo do PIS/Cofins e da Cide.

“O que gostaríamos que fosse feito? Que o Congresso votasse, aprovasse uma lei dizendo o seguinte, que o ICMS vai incidir sobre o preço do diesel na refinaria ou terá um valor fixo, a exemplo da Cide, nada mais além disso”, disse. “Toda vez que aumenta o diesel os governadores ganham mais. Isso é justo? Não é justo? O Parlamento tem que decidir. O Parlamento está aí para isso. É uma missão espinhosa? É”, declarou.

Bolsonaro se queixou do fato de que o aumento do preço dos combustíveis sempre é visto como responsabilidade do governo federal, embora o item também tenha a cobrança de impostos estaduais. Ele destacou ainda que a Cide-combustíveis, um tributo federal, já foi zerada.

“O que a gente apela para os governadores, temos que buscar uma solução – ninguém lembra de governador, só lembra do presidente quando aumenta a gasolina, diesel, álcool – de ter um valor, um porcentual em cima do preço na refinaria, ou na usina, no caso no álcool, ou um valor fixo, que periodicamente as respectivas assembleias legislativas mexam com isso aí, para você saber a composição do combustível”, disse.

Uma das críticas do chefe do Planalto é a falta de “previsibilidade” quanto ao preço dos combustíveis. “Não podemos ficar a vida toda vivendo sem previsibilidade”, disse. Conforme informou o Broadcast, o governo federal estuda alongar a periodicidade do reajuste de ICMS sobre combustíveis. De acordo com fontes da área econômica, o tema está em negociação com os governadores, mas depende de decisão do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), do qual os Estados fazem parte.

5. Radar  corporativo

Além de monitorar Petrobras, em destaque no radar corporativo, a Gol informou que teve alta de 8% na demanda por voos domésticos em janeiro ante dezembro.

Já a Oi informou na véspera que assinou acordo de exclusividade com Globenet, BTG Pactual e outros fundos do banco envolvendo a venda da ativos de fibra óptica da operadora de telecomunicações, a InfraCo. “O acordo visa a garantir segurança e celeridade às tratativas em curso entre as partes e permitir que, caso sejam satisfatoriamente finalizadas as negociações de condições e documentos entre as partes, a Oi tenha condições de garantir às proponentes o direito de cobrir outras propostas recebidas da InfraCo”, afirmou a companhia em fato relevante. O acordo vale até 6 de março, mas pode ser renovado automaticamente por mais 30 dias, salvo se houver manifestação em contrário por qualquer das partes.

O Senado, por sua vez, aprovou a medida provisória 998, que visa conter reajustes de tarifas de energia nos próximos anos e prevê retirada gradual de subsídios para usinas de geração renovável como eólicas e solares, além de trazer dispositivos importantes para a usina nuclear de Angra 3, da Eletrobras.

Ainda sobre Eletrobras,  presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou na quinta que as propostas sugeridas pelo presidente Jair Bolsonaro ao Congresso serão submetidas aos líderes partidários para definição. A declaração foi dada após questionamento sobre a privatização da Eletrobras.

No radar das aberturas de capital, a oferta inicial de ações (IPO) da produtora de açúcar e etanol Jalles Machado saiu a R$ 8,30 por papel e movimentou R$ 741,5 milhões. O preço ficou abaixo da faixa estimada, estimado pelos coordenadores da operação, que ia de R$ 10,35 a R$ 12,95. A Focus Energia precificou o IPO a R$ 18,02 por ação, também abaixo do piso. A sessão marca ainda as estreias de Mosaico e Mobly na B3.

(Com Reuters, Bloomberg e Agência Estado)

Profissão Broker: série do InfoMoney mostra como entrar para uma das profissões mais estimulantes e bem remuneradas do mercado financeiro em 2021. Clique aqui para assistir