Fique de olho

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta segunda-feira

Sessão é novamente de volatilidade para as bolsas mundiais em meio à cautela com coronavírus

Aprenda a investir na bolsa

A semana começa com nova queda no preço do petróleo, provocada pela redução do consumo nos países atingidos pela epidemia mundial do coronavírus. O barril do Brent recuou para a maior baixa em 17 anos, cotado a pouco mais que US$ 22 na manhã de hoje.

As bolsas de valores da Ásia fecharam em leve baixa e as europeias abriram em queda moderada, enquanto os futuros de Nova York oscilam entre os terrenos positivo e negativo. No cenário político brasileiro, governadores ameaçam ir à Justiça se o presidente Jair Bolsonaro editar um decreto-Lei autorizando a abertura do comércio. Ontem, Bolsonaro passeou pelo Distrito Federal e tirou selfies com partidários.

No noticiário corporativo, destaque para a aquisição da Klabin, que comprará por R$ 330 milhões a divisão de papéis ondulados e embalagens da International Paper no Brasil.

1. Bolsas mundiais

Aprenda a investir na bolsa

As bolsas de valores da Ásia fecharam em queda moderada nesta segunda-feira, enquanto as europeias abriram em baixa. Os futuros de Nova York operam entre o terreno positivo e negativo.

O destaque na manhã de hoje foi a queda nos preços do petróleo, com o barril do WTI recuando para US$ 19,90 na madrugada e o Brent na maior baixa em 17 anos, desde antes da Guerra do Iraque (2003). A guerra de preços entre Arábia e Rússia prossegue, enquanto a demanda da China e outros países caiu por causa da pandemia do coronavírus.

No domingo, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que as medidas de distanciamento social prosseguirão até 30 de abril. Trump descartou o fechamento da cidade de Nova York, mas alertou que “a prioridade número 1 é a vida, a número 2 é a economia”.

A Argentina anunciou que sua quarentena se estenderá até 30 de abril, enquanto na Grã-Bretanha ministros sugeriram que o fechamento do país pode durar seis meses. No mundo inteiro, o número de pessoas contaminadas superou 700 mil, enquanto o número de mortos ultrapassou 30 mil.

Veja o desempenho dos mercados, às 7h28 (horário de Brasília):

Nova York
*S&P 500 Futuro (EUA), +0,15%
*Nasdaq Futuro (EUA), +0,24%
*Dow Jones Futuro (EUA), +0,09%

PUBLICIDADE

Europa
*Dax (Alemanha), -0,24%
*FTSE (Reino Unido), -0,76%
*CAC 40 (França), -0,88%
*FTSE MIB (Itália), -0,56%

Ásia
*Nikkei (Japão), -1,57% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), -0,09% (fechado)
*Hang Seng (Hong Kong), -1,32% (fechado)
*Xangai (China), -0,90% (fechado)

*Petróleo WTI, -4,97%, a US$ 20,44 o barril
*Petróleo Brent, -8,62%, a US$ 22,79 o barril

**Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian fecharam em queda de -2,27% cotados a 645,500 iuanes, equivalentes a US$ 91,90 (nas últimas 24 horas). USD/CNY= 7,0922 (+0,07%)

*Bitcoin, US$ 6.282,00 +6,17%

2. Indicadores econômicos

O Banco Central publicou a pesquisa Focus, que trouxe alterações do mercado nas suas expectativas para a economia em meio ao avanço do coronavírus no país. A projeção para o PIB em 2020 passou de alta de 1,48% para queda de 0,48%, enquanto a expectativa para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu de 3,04% e 2,94% entre uma semana e outra. A projeção para a Selic, por sua vez, foi de 3,75% ao final do ano para 3,50%.

A FGV publicou ainda o IGP-M da última quadrissemana de março, passando a subir 1,24% no mês após variação de 0,04% no período anterior.

Já o Tesouro divulga resultado primário do governo central de fevereiro às 10h30 em seu website. Às 11h o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, comenta o resultado com a imprensa no canal do YouTube do ministério da Economia.

PUBLICIDADE

Na Europa, o Eurostat publica pela manhã a pesquisa sobre a confiança na economia em março. Nos Estados Unidos, serão divulgadas as vendas de imóveis em fevereiro. Na China, o Escritório Nacional de Estatísticas divulga às 22h o índice dos gestores de compras (PMI) composto e o da manufatura em março.

3. Polêmicas com Bolsonaro

O Twitter apagou duas publicações da conta oficial do presidente Jair Bolsonaro na noite do último domingo (29). No lugar das publicações, feitas na tarde de domingo, aparece a mensagem: “Este tweet não está mais disponível porque violou as regras do Twitter”.

O presidente Jair Bolsonaro divulgou neste domingo um vídeo em que conversa com um vendedor ambulante em Taguatinga, no Distrito Federal. Ele afirma que o povo quer voltar a trabalhar. Ele acabou contrariando a orientação do ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, que defendeu o isolamento horizontal de forma a evitar a disseminação do coronavírus. Bolsonaro também defendeu a hidroxicloroquina para tratar a Covid-19. Na véspera, Mandetta alertou para os efeitos colaterais do uso do remédio de forma indiscriminada.

Vale destacar que os governadores estudam acionar a Justiça se o presidente levar adiante sua ideia de editar um Decreto-Lei autorizando a abertura do comércio no país, informa a Folha de S. Paulo. “O que os governadores querem é que o presidente assuma a sua responsabilidade de coordenar as ações da saúde pública para salvar vidas humanas”, Rui Costa (PT), governador da Bahia. O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), afirmou que assina hoje decreto ampliando as medidas restritivas.

A divergência entre o discurso de Bolsonaro e o dos governadores e outros segmentos do país também segue sendo monitorada. O discurso do presidente contra o isolamento social ganhou força entre apoiadores e um dos grupos, o Avança Brasil, lançou uma campanha para que os trabalhadores retomem a vida normal nesta segunda-feira, segundo informações do Valor Econômico.

Ainda no radar político, o Senado vota hoje o pagamento de um auxílio emergencial por três meses, no valor de R$ 600, destinado aos trabalhadores autônomos, informais e sem renda fixa. O presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), havia confirmado a data da votação em postagem no Twitter, na última sexta-feira.

4. Caixa líquido curto 

Uma pesquisa feita pelo Centro de Estudos do Mercado de Capitais da Fipe e a Economática, com 245 empresas de capital aberto, aponta que metade das companhias com ações na B3 têm recursos para suportar até três meses sem faturar. Com o dinheiro disponível em caixa, conta corrente e aplicações, as empresas conseguiriam pagar fornecedores, folha de salários e outras despesas operacionais no período. O cálculo não embute a valorização do dólar em 2020, informa o jornal O Estado de S. Paulo.

“Esse é o retrato das maiores empresas e das mais capitalizadas do país”, afirma Carlos Antonio Rocca, coordenador do Cemec-Fipe. “A situação das pequenas e médias empresas é bem mais problemática e exigirá medidas consistentes para evitar uma quebradeira. Elas vão sofrer mais do que as grandes”, alerta.

5. Noticiário corporativo

PUBLICIDADE

A Klabin anunciou no domingo a aquisição da operação de embalagens e papelão ondulado da International Paper no Brasil, por R$ 330 milhões. Segundo a Klabin, a unidade tem a capacidade de produzir 305 mil toneladas por ano e um market share de 6,6% do mercado brasileiro.

Já a Eletrobras, maior empresa de energia elétrica do Brasil e da América Latina, publicou balanço de 2019 no sábado. A estatal informou um lucro líquido de R$ 3,1 bilhões no quarto trimestre do ano passado, uma retração de 77% sobre igual período do ano anterior. No ano fechado de 2019, o lucro líquido da estatal caiu menos, 20% para R$ 10,7 bilhões.

Aprendizados em tempos de crise: uma série especial do Stock Pickers com as lições dos principais nomes do mercado de ações. Assista – é de graça!