Fique de olho

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta quarta-feira

Balanços geram alívio nas bolsas mundiais em meio ao temor com coronavírus; grande destaque na agenda econômica fica para o Fomc

Aprenda a investir na bolsa

Os mercados acompanham com atenção o fim do encontro do Federal Open Market Committee (Fomc) e os resultados trimestrais da Boeing, GE, Facebook e Microsoft, nos Estados Unidos. Ontem a Apple apresentou um resultado muito forte, com lucro líquido de US$ 55,9 bilhões e, com isso, a expectativa é alta para os próximos balanços.

As atenções também estão no surto do coronavírus na China, onde o governo informou que o número de pessoas infectadas ultrapassou seis mil, das quais 123 morreram. No noticiário corporativo, destaque para aportes de R$ 998 milhões que o Banco do Brasil fez na Cassi, fundo de pensão dos funcionários.

1. Bolsas mundiais

Os futuros de Nova York estão em terreno positivo na manhã de hoje, à espera do fim da reunião do Fomc, que às 16h divulga o resultado. Wall Street também aguarda os resultados trimestrais da Boeing, General Electric, Facebook e Microsoft.

Aprenda a investir na bolsa

As bolsas europeias abriram em leve alta. Na Ásia, as bolsas de Tóquio e Seul fecharam em alta, enquanto Hong Kong, que reabriu hoje após o feriado, teve queda de 2,82%. Na China continental, o governo informou que o número de atingidos pelo coronavírus passa de seis mil, com 132 mortes.

A Bolsa de Hong Kong, que já reabriu hoje, caiu menos que o temido diante das ameaças pesadas do vírus, após BC chinês ontem prometer prover liquidez.

Veja o desempenho dos mercados, às 7h12 (horário de Brasília):

Nova York
*S&P 500 Futuro (EUA), +0,14%
*Nasdaq Futuro (EUA), +0,25%
*Dow Jones Futuro (EUA), +0,10%

*Dax (Alemanha) , +0,11%
*FTSE (Reino Unido), +0,15%
*CAC 40 (França), +0,29%
*FTSE MIB (Itália), +0,29%

*Nikkei (Japão), +0,71% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), +0,39% (fechado)
*Hang Seng (Hong Kong), -2,82% (fechado)
*Xangai (China), -2,75% (Feriado – sem pregão)

PUBLICIDADE

*Petróleo WTI, +1,18%, a US$ 54,11 o barril
*Petróleo Brent, +1,13%, a US$ 60,18 o barril

**A Bolsa de Dalian está fechada pelo feriado na China. Em 23 de janeiro, contratos futuros do minério de ferro negociados em Dalian fecharam com queda de 2,33%, cotados a 649,500 iuanes, equivalentes em 29/01/2020 a US$ 93,65 (nas últimas 24 horas). USD/CNY= 6,9348 (-0,14%)
*Bitcoin, US$ 9.368,54, +0,02%

2. Indicadores econômicos

No Brasil, o Banco Central deve divulgar o movimento de crédito em dezembro e em 2019, às 9h, enquanto o governo federal apresenta o resultado primário de dezembro e de 2019, às 14h30. Já o governo central deve registrar déficit primário de R$ 1,6 bilhão em dezembro, segundo estimativa mediana de economistas pesquisados pela Bloomberg, depois de déficit de R$ 16,5 bi em novembro e de R$ 31,7 bilhões em dezembro de 2018. Também nesta quarta acontece a reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN), formado pelo Ministério da Economia e pelo Banco Central do Brasil.

Nos Estados Unidos, o governo deve divulgar às 10h30 a balança comercial de bens avançados em dezembro. No mesmo horário, serão divulgados estoques no varejo e no atacado.

No país, contudo, as atenções estarão voltadas para o Fomc, às 16h, com a taxa devendo ser mantida na banda de 1,50% a 1,75%; presidente do Fed, Jerome Powell, fala em coletiva de imprensa às 16h15. A dúvida é se Powell mencionará incerteza com o vírus, que já matou mais de 130 pessoas e afeta atividades de empresas como Toyota e Starbucks no mercado chinês.

Ao meio-dia, o Fundo Monetário internacional (FMI) divulga em Washington um relatório de perspectivas econômicas para a América Latina e o Caribe em 2020.

3.  Auditoria no BNDES

O presidente da República, Jair Bolsonaro, disse que “tem coisa esquisita” e cobrou explicações sobre os reajustes que levaram o BNDES a pagar R$ 48 milhões por uma auditoria no banco estatal.

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, deve explicar o caso hoje, informa o jornal O Estado de S. Paulo.

4. Estatais 

PUBLICIDADE

O volume de investimentos das empresas estatais em 2019 foi de R$ 58,3 bilhões, uma queda de 31,3% sobre os R$ 84,8 bilhões investidos no ano anterior, informa reportagem de hoje do jornal Valor Econômico. O Ministério da Economia comentou que a redução ocorre porque as duas principais companhias, Petrobras e Eletrobras, responsáveis por 94% dos investimentos das empresas estatais, estão em fase de desinvestimentos, com a venda de ativos. Os investimentos da Petrobras caíram 87% e da Eletrobras 14,8%.

O relator da reforma tributária na Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), defendeu nesta terça-feira (28) um esforço conjunto de deputados e senadores para que a proposta seja votada em texto único até junho na Câmara e no Senado. O governador de São Paulo, João Doria, disse ontem em evento no Credit Suisse estar confiante de que reforma tributária do governo federal será aprovada e que será seguida pela reforma administrativa.

5. Noticiário corporativo

O Banco do Brasil (BBAS3) comunicou que fez repasses superiores a R$ 998 milhões à Cassi, fundo previdenciário dos seus funcionários, no dia 20 de janeiro. Quase metade deste valor, R$ 450 milhões, refere-se a um acordo judicial que o banco fez com o Grupo de Dependentes Indiretos (GDI) em 2007, após ocorrer a alteração estatutária da Cassi. Já a Celpe – Companhia Energética de Pernambuco (CEPE5), informou que pretende captar US$ 120 milhões (R$ 502 milhões) através de contratos de swap que serão feitos pelo Scotiabank.

Invista melhor seu dinheiro: abra uma conta gratuita na XP