Fique de olho

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta quarta-feira

Progresso em desenvolvimento de vacina anima mercados; expectativa por PIB da China e mais destaques desta quarta

arrow_forwardMais sobre
Bandeiras da China ao vento
(Shutterstock)
Aprenda a investir na bolsa

O otimismo toma conta dos mercados globais após a empresa de biotecnologia Moderna informar que a vacina que está desenvolvendo contra a Covid-19 induziu respostas de anticorpos nas 45 pessoas que participaram do teste. As Bolsas europeias e os futuros de Nova York operam em alta.

No Brasil, discussões para a criação de novos impostos que possam dar suporte ao novo programa de distribuição de renda do governo e à desoneração da folha de pagamentos.

A equipe do ministro Paulo Guedes (Economia) estuda a criação de um tributo aos moldes da antiga CPMF para custear o Renda Brasil.

Aprenda a investir na bolsa

Há também a iniciativa de um tributo sobre pagamento, em especial aqueles sobre as vendas do comércio eletrônico. A ideia é de uma alíquota de 0,2% que poderia arrecadar mais de R$ 100 bilhões aos cofres públicos.

Entre as notícias corporativas, a Lojas Americanas levantou R$ 7,8 bilhões em sua oferta de ações e a BR Distribuidora retomou a venda de gasolina de aviação.

1. Bolsas mundiais

O avanço no desenvolvimento de uma vacina contra o novo coronavírus animam os mercados nesta quarta-feira. As Bolsas europeias e os futuros americanos operam em terreno positivo, deixando um pouco de lado as preocupações de que a retomada de medidas de isolamento social atrapalhe a retomada da economia.

O DAX, de Frankfurt, sobe 1,30%.

A empresa de biotecnologia Moderna informou, na terça-feira, que a vacina que está desenvolvendo contra a Covid-19 induziu respostas de anticorpos nas 45 pessoas que participaram do teste.

Apesar do otimismo com a vacina, Mark Nash, responsável pela área de renda fixa global na Merian Global Investors, lembra que ainda há um temor muito grande de uma recuperação econômica em formato de W, ainda mais com o avanço do coronavírus em locais que tomaram medidas de relaxamento do isolamento social.

PUBLICIDADE

“A boa notícia é que os mercados ainda têm uma chance de sobreviver porque o Fed comprou tempo. As condições financeiras vão permanecer flexibilizadas até que o crescimento comece”, disse, à Bloomberg.

Essa notícia também anima os futuros de Nova York. Os do Dow Jones registram alta de 1,16% e os do S&P 500 sobem 0,92%.

Na Ásia, tensão após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmar que vai eliminar a preferência dada ao território de Hong Kong. O motivo para o fim do acordo é a nova Lei de Seguridade Nacional imposta pela China. O Ministério de Relações Exteriores chinês reagiu, afirmando que o governo americano tentava interferir em assuntos interno e que estavam cometendo um erro.

O aumento da tensão entre as duas maiores economias do mundo contribuiu para a queda de 1,56% do Shangai SE. O Hang Seng Index, de Hong Kong, ficou estável (+0,01%). Já o Nikkei 225, de Tóquio, subiu 1,59%.

Veja o desempenho dos mercados, às 7h39 (horário de Brasília):

Nova York
*S&P 500 Futuro (EUA), +0,92%
*Nasdaq Futuro (EUA), +0,57%
*Dow Jones Futuro (EUA), +1,16%

Europa
*Dax (Alemanha), +1,30%
*FTSE 100 (Reino Unido), +1,13%
*CAC 40 (França), +1,66%
*FTSE MIB (Itália), +1,37%

Ásia
*Nikkei 225 (Japão), +1,59% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), +0,01% (fechado)
*Shanghai SE (China), -1,56% (fechado)

PUBLICIDADE

*Petróleo WTI, +1,04%, a US$ 40,71 o barril
*Petróleo Brent, +0,86%, a US$ 43,27 o barril

**Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian fecharam em alta de 0,54%, cotados a 837.000 iuanes, equivalente hoje a US$ 119,76 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,9887 (-0,24%)

*Bitcoin, US$ 9.226, +0,36%

2. Agenda

A agenda de divulgação está fraca no Brasil nesta quarta-feira. A Fundação Getúlio Vargas (FGV) publicou durante a manhã a inflação de julho medida pelo IGP-10, acelerando a alta para 1,91% em julho ante 1,55% em junho sob o peso dos combustíveis.

No radar político, o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, participam às 13h da cerimônia de sanção do novo Marco Legal do Saneamento Básico. O governo vem sofrendo pressão para mudar o marco do saneamento aprovado pelo Congresso, segundo o Estadão.

Nos Estados Unidos será divulgado, às 9h30 (horário de Brasília), o índice Empire State de atividade industrial referente ao mês de julho. Já às 10h15 será a vez dos dados sobre a produção industrial do mês de junho.

E está prevista para as 11h30 a publicação dos dados sobre estoque de petróleo. Às 15h, atenção para o Livro Bege.

Na China, às 23h, é a vez de conhecer o PIB do segundo trimestre e os dados da produção industrial.

PUBLICIDADE

Também em destaque, está o segundo dia da Expert 2020, conferência de investimentos organizada pelo grupo XP Inc. A 10ª edição do evento será totalmente online e gratuita. São mais de 100 palestrantes, entre os dias 14 e 18 de julho, que vão abordar temas como investimentos, economia, negócios, comportamento social e empreendedorismo explorando o ano atípico que o Brasil e o mundo estão vivendo em meio à pandemia de coronavírus.

No segundo dia do evento, participam nomes como o presidente da Câmara Rodrigo Maia, o ministro do STF Luiz Fux e o ministro da Infraestrutura Tarcisio Gomes de Freitas. Confira mais sobre a agenda do evento clicando aqui.

3. Fake news

A Polícia Federal quer ter acesso a todos os dados da investigação que o Facebook fez ao excluir contas consideradas inautênticas. O pedido, segundo o jornal “Folha de S.Paulo”, foi feito no âmbito do inquérito que apura o financiamento dos atos antidemocráticos, cuja relatoria é do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

A PF argumenta no pedido que a determinação à rede social deve ocorrer de maneira urgente, para que as pessoas envolvidas com as contas removidas não tenham tempo de se desfazer dos dados.

4. Nova CPMF e Imposto digital

O ministro da Economia, Paulo Guedes, trabalha junto com líderes do centrão para tentar diminuir a aversão dos congressistas a um projeto que implemente uma contribuição sobre as movimentações financeiras, aos moldes da antiga CPMF. Segundo o jornal “Folha de S.Paulo”, a ideia é que a nova contribuição ajude a bancar o projeto social do governo, o Renda Brasil.

A tentativa será discutir uma alíquota baixa para a nova contribuição, isentando pessoas com renda de até 2 ou 2,5 salários mínimos.

Guedes também quer criar um sobre pagamentos para ser aplicado, sobretudo, às compras do comércio eletrônico. A alíquota, segundo o jornal “Folha de S.Paulo”, seria de 0,2% e que seria uma alternativa à tributação sobre salários.

A expectativa é que a medida possa arrecadar mais de R$ 100 bilhões. O comércio eletrônico tem apresentado crescimento em meio à pandemia do novo coronavírus.

Ainda em destaque, a reforma tributária será analisada por uma comissão especial da Câmara que deve voltar a reunir-se a partir desta quarta-feira, enquanto a PEC que torna o Fundeb permanente pode ser votada no Plenário na semana que vem, segundo informações da Agência Câmara.

5. Radar corporativo

A Lojas Americanas levantou R$ 7,87 bilhões em seu “follow on”. As ações ordinárias saíram a R$ 34,50 reais e as ordinárias a R$ 29,78.

Os recursos serão utilizados para capitalizar a controlada B2W, dona de sites de comércio eletrônico como Americanas.com, além de investimentos na Ame Digital e na expansão dos negócios.

E a Petrobras manteve sua meta de endividamento bruto para 2020, mas o presidente da empresa, Roberto Castello Branco, afirmou que ela pode ser superada.

A companhia espera uma queda a R$ 60 bilhões, mas sem especificar quando a meta deve ser atingida.

Apesar dos atrasos de cronograma, a estatal não alterou planos de desinvestimentos e deve anunciar novidades na venda de ativos nos próximos meses, acrescentou o executivo, segundo a agência Reuters.

Já a BR Distribuidora informou que retomou a comercialização de gasolina de aviação após uma paralisação preventiva no fornecimento pela Petrobras, sua única provedora do combustível.

A suspensão foi adotada após a estatal detectar, no sábado, um lote de gasolina para aeronaves (AVGAS) com teor de compostos aromáticos diferente dos lotes até então importados, embora dentro dos requisitos de qualidade exigidos pela Agência Nacional do Petróleo (ANP).

A BR informou que a retomada das vendas ocorre após a Petrobras oferecer informações técnicas que permitem a identificação exata desse lote.

E no mercado externo a Braskem, por meio da Braskem Netherlands Finance, prepara uma emissão de notas subordinadas no mercado internacional. A operação busca US$ 500 milhões, segundo informações do jornal “Valor Econômico”.

Inscreva-se na EXPERT 2020 e acompanhe o maior evento de investimentos – Online e gratuito