Telecomunicações

Oi (OIBR3) fecha acordo com operadoras sobre preço de venda de ativos móveis e receberá R$ 821,4 milhões

Com o ajuste pós-fechamento, ficou definido que o valor total da transação é de R$ 15,19 bilhões

Por  Felipe Moreira -

O Tribunal da Câmara Arbitral homologou nesta quarta-feira (4) um acordo entre a Oi (OIBR3), TIM (TIMS3), Telefônica Brasil (VIVT3) e Claro com relação ao valor do ajuste pós-fechamento da operação de venda dos ativos móveis da companhia em recuperação judicial.

Ficou definido que o valor total devido à Oi pela aquisição da UPI Ativos Móveis é de R$ 15,19 bilhões, tendo como referência a data de fechamento da negociação. Na ocasião, em 20 de abril de 2022, a Oi havia recebido R$ 14,5 bilhões. Agora levantou mais R$ 821,4 milhões com o acordo.

Já a TIM resgatou uma parcela correspondente à metade do valor que havia sido depositado judicialmente e posteriormente repassado ao Tribunal Arbitral (equivalente a aproximadamente R$ 317 milhões na data do fechamento).

A Claro levantará o montante de R$ 324,7 milhões, enquanto a Telefônica Brasil resgatará o saldo de R$ 244,2 milhões.

Por conta do acordo, serão encerradas todas as pendências e litígios existentes entre a Oi e as compradoras relacionados à determinação do preço de aquisição da UPI Ativos Móveis.

Vivo, Claro e TIM abriram processo de arbitragem contra a Oi em outubro do ano passado, pedindo um ressarcimento de R$ 3,2 bilhões, referentes a ajustes pós-fechamento. Em 2020, as operadoras ofereceram um total de R$ 16,5 bilhões pela Oi Móvel.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Compartilhe