Nubank (ROXO34) tem lucro ajustado de US$ 395,8 milhões no 4º tri, alta anual de 248%

Fintech chegou a mais de 93 milhões de clientes, com alta de 19 milhões em 2023

Camille Bocanegra

(Imagem: Reprodução/ Facebook/ Nubank)

Publicidade

O Nubank (ROXO34) reportou lucro líquido ajustado de US$ 395,8 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), conforme a divulgação de balanço na noite desta quinta-feira (22), um avanço de 247,8% na comparação anual. No 4T22, o lucro tinha sido de US$ 113,8 milhões. No ano de 2023, o Nubank apresentou lucro de US$ 1 bilhão, contra o prejuízo de US$ 9,1 milhões observado em 2022.

O lucro líquido, por sua vez, ficou em US$ 360,9 milhões, comparados com os US$ 58 milhões observados no 3T22, aumento de 489%.

O banco digital anunciou retorno sobre o patrimônio (ROE, na sigla em inglês) de 23%, considerando o lucro líquido, e de 26% no resultado ajustado.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A receita da companhia cresceu para US$ 2,4 bilhões, com crescimento em 57% com ajuste FXN.

A Receita Média Mensal por Cliente Ativo (ARPAC), por sua vez, atingiu US$ 10,6 no 4T23, representando um aumento de 23% FXN comparado com o 4T22.

O Custo de Servir Médio Mensal por Cliente Ativo se manteve em US$ 0,90, ainda abaixo do nível de US$ 1, como esperado. O banco destacou que a estabilidade na métrica ressalta o potencial de alavancagem operacional presente na companhia atualmente.

Continua depois da publicidade

O lucro bruto avançou para US$ 1,143 milhões no quarto trimestre de 2023, em comparação com os US$ 578 milhões observados no mesmo período de 2022. A margem de lucro bruto ficou em 48%.

A companhia apresentou avanço de 4,8 milhões de clientes no trimestre e atingiu um total de 93,9 milhões de clientes, com alta de 19 milhões na comparação anual.

Dados de inadimplência

No Brasil, o índice de inadimplência do Nubank, considerando atrasos entre 15 e 90 dias, terminou dezembro em 4,1%, em ligeira queda. Já para um prazo maior, acima de 90 dias, ficou estável em 6,1%.

No crédito, a carteira que rende juros cresceu 91% em um ano, chegando a US$ 8,2 bilhões em dezembro.