Novo ministro da Saúde, ata do Fomc e resultados: o que acompanhar na próxima semana

Tudo que o investidor precisa saber antes de operar na semana

Rodrigo Tolotti

Publicidade

SÃO PAULO – Se de um lado o mundo segue atento sobre os próximos passos no combate ao novo coronavírus e tentativa de reabertura das economias, no Brasil o assunto é a tensão política crescente, que se une à recente “bomba” que atingiu o governo com a saída do agora ex-ministro da Saúde, Nelson Teich.

Os próximos dias serão intensos com a definição de quem será o novo comandante da pasta da Saúde. O movimento ocorre em meio a divergências públicas com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre as medidas de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus e a expectativa é que o novo ministro concorde com as ideias do Bolsonaro, que vão contra o que sugerem as autoridades de saúde no mundo todo.

Além disso, os investidores ficam atentos à liberação do vídeo da reunião ministerial em que o ex-ministro Sergio Moro diz que foi demonstrado a tentativa de interferência de Bolsonaro na Polícia Federal.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Ainda se espera uma decisão de Bolsonaro sobre os vetos defendidos pelo ministro da Economia, Paulo Guedes aos reajustes de servidores. A medida era esperada para o início da semana que passou, mas atrasou porque o presidente tenta negociar a medida com o Congresso para evitar que o veto seja posteriormente derrubado.

Ainda na agenda doméstica, o câmbio será centro de atenções após o Banco Central surpreender na última quinta-feira ao atuar com mais força em um momento em que o dólar ameaçou superar a marca de R$ 6,00. Os investidores vão checar se foi apenas um ativismo pontual ou se o BC terá uma dinâmica mais firme no câmbio caso o estresse volte ao mercado.

Entre os indicadores, a próxima semana será mais fraca, com destaque para os dados de inflação como o IGP-10 de maio, enquanto o relatório Focus deve chamar atenção com as novas projeções do mercado. Ainda serão divulgadas quadrissemanas do IPC-S e IPC-Fipe, além de prévia do IGP-M.

Continua depois da publicidade

A temporada de resultados, apesar de ter terminado o prazo oficial, ainda segue nos próximos dias, já que muitas empresas adiaram a divulgação por causa na pandemia.

Na semana apresentam os números do primeiro trimestre a Marfrig, Lojas Renner e Usiminas, entre outras. Na segunda-feira (18) ainda acontece o vencimento de opções sobe ações na Bolsa.

Agenda externa

No exterior, o mercado fica atento às falas do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, na terça (19) e quinta (21). Estes eventos ganharam destaque após ele derrubar os mercados nos últimos dias com projeções bem pessimistas para a economia americana.

A agenda nos EUA ainda tem a ata do Fomc, dia 20, que pode trazer mais indicações sobre o rumo da taxa de juros no país, além de alguns PMIs americanos.

Em outros países, a agenda é mais fraca, com destaque para o PIB do Japão, no domingo, e PMIs da zona do euro, onde os dados têm mostrado uma economia fortemente castigada pela pandemia.

Clique aqui para conferir a agenda completa de indicadores.

Quer viver do mercado financeiro ou ter renda extra? Experimente de graça o curso do Wilson Neto, um dos melhores scalpers do Brasil

Rodrigo Tolotti

Repórter de mercados do InfoMoney, escreve matérias sobre ações, câmbio, empresas, economia e política. Responsável pelo programa “Bloco Cripto” e outros assuntos relacionados à criptomoedas.