Em mercados

Ministro da Fazenda da Argentina renuncia ao cargo

Nicolás Dujvone entregou ontem uma carta de renúncia ao presidente Maurício Macri, em que reconheceu erros na condução da economia do país

Argentina
(Shutterstock)

BRASÍLIA - Nicolás Dujvone, ministro da Fazenda da Argentina, renunciou ao cargo ontem (17), informou a agência nacional de notícias argentina Télam. Para ocupar a pasta, o presidente Mauricio Macri, chamou Hernán Lacunza, ministro da Economia da Província de Buenos Aires.

Dujovne, que ocupava o cargo desde janeiro de 2017, entregou uma carta de renúncia ao presidente Maurício Macri, em que se disse “convencido de que, em virtude das circunstâncias, a gestão precisa de uma renovação significativa na área econômica”.

Em sua carta, Dujvone reconheceu erros na condução da economia argentina, mas afirmou ter atuado para corrigi-los. "Conseguimos conquistas na redução do déficit e dos gastos públicos, na redução de impostos distorcidos nas províncias, na recuperação do federalismo. Também, sem dúvida, cometemos erros, que nunca hesitamos em reconhecer e fizemos o melhor que pudemos para corrigir."

A renúncia de Dujvone ocorre uma semana após o resultado das eleições primárias que desencadearam uma crise no governo. A chapa de Alberto Fernández e da ex-presidente Cristina Kirchner derrotou Macri e obteve uma significativa vantagem de mais de 15%, saindo favorita para as eleições presidenciais em outubro.

Após o resultado das eleições, Macri, anunciou um pacote com medidas econômicas para amenizar os impactos da crise econômica na Argentina. Entre as medidas está o pagamento de bônus salariais para todos os tipos de trabalhadores (servidores públicos, de empresas privadas e informais), aumentar o salário mínimo e permitir que pequenas e médias empresas possam renegociar suas dívidas tributárias em dez anos.

Anunciou também redução no imposto de renda dos aposentados e aumento de 40% no valor das bolsas dos estudantes. Macri ainda prometeu congelar o preço da gasolina por 90 dias, mas depois da péssima repercussão, voltou atrás.

Lacunza, novo ministro da Fazenda, tem 49 anos e é formado em economia. Antes de dirigir o Ministério da Economia de Buenos Aires, passou pelos cargos de diretor geral do Banco Central argentino e do Banco Municipal da Cidade de Buenos Aires.

 

Contato