Em mercados

Produção de celulose cai 7,1% no 1º tri no comparativo anual, diz Ibá

Somente no mês de março a produção caiu 0,6% em relação ao informado um ano antes, para 1,736 milhão de toneladas

Eucalipto
(Rodrigo Tolotti)

As produção de celulose do Brasil (em volume) recuou 7,1% no primeiro trimestre de 2019, somando 4,9 milhões de toneladas, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira, 15, pela Indústria Brasileira de Árvores (Ibá). Somente no mês de março a produção caiu 0,6% em relação ao informado um ano antes, para 1,736 milhão de toneladas. Entre janeiro e março, as exportações do insumo diminuíram 2,4% em relação ao reportado um ano antes, somando 3,8 milhões de toneladas vendidas. No mês de março foi apurada queda de 13,3% na exportações, para 1,204 milhão de toneladas.

O consumo aparente de celulose caiu 15,7% no comparativo entre mesmos trimestres, para 1,162 milhão de toneladas. Em março, entretanto, registrou um salto de 61,5% no comparativo anual, para 599 mil toneladas.

Já a produção de papel ficou estável em 2,6 milhões de toneladas, apontando leve queda de 0,6% no comparativo entre mesmos trimestres. As exportações de papel (em volume), por sua vez, recuaram 2,2% no primeiro trimestre, para 500 mil toneladas. No mercado doméstico, as vendas de papel caíram 1,1% em relação aos primeiros três meses do ano passado, totalizando 1,3 milhão de toneladas.

Na direção oposta, as vendas de painéis de madeira (em volume) no mercado doméstico cresceram 1,1% no primeiro trimestre no comparativo anual, para 1,6 milhão de metros cúbicos. As exportações desse insumo, que tem a América Latina como principal destino, registraram retração de 4,5% na mesma base de comparação, para 294 mil metros cúbicos.

Balança Comercial

As exportações de produtos florestais somaram US$ 2,8 bilhões no primeiro trimestre, com alta de 2,3% frente ao mesmo período do anterior. Em valores, entre janeiro e março deste ano as exportações de celulose cresceram 3,3%, as de papel recuaram 0,4% e as painéis de madeira diminuíram 9,6%.

Como resultado a balança comercial do setor fechou o trimestre com um saldo positivo de US$ 2,496 bilhões, 2,8% acima do alcançado um ano antes.

A representatividade da balança do setor foi de 5,2% do total das exportações brasileiras. As exportações de celulose para a China - o mais importante destino do setor de celulose brasileiro - diminuíram 1,5% no comparativo entre mesmos trimestres, para US$ 856 milhões (FOB).

 

Contato