Em mercados

Guedes diz que "Brasil era um Saci Pererê" e compara estatais a "filhos que fugiram e hoje são drogados"

"O Brasil era um Saci Pererê, só pulava com a perna esquerda, mas ela estava cansada. Agora vamos pular um pouco com a perna direita", disse o ministro da Economia em evento do BNDES

Paulo Guedes
(Valter Campanato/Agência Brasil)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta sexta-feira (8) na abertura do seminário Desestatização do Setor Elétrico, no BNDES, que tem tido a melhor interlocução com a classe política. Segundo ele, os políticos já perceberam que o jogo de buscar cargos em estatais para ajudar a financiar eleições não é interessante, porque o orçamento fica comprometido e não sobram recursos para governar.

"A velha política morreu. As estatais não vão mais alimentar essas distorções na democracia. O modelo de política por votos mercenários acabou", disse ele.

No mesmo evento, Guedes comparou as estatais brasileiras a "filhos drogados". "Eu falava que tinha que vender todas [as estatais], mas naturalmente o nosso presidente [Jair Bolsonaro], os nossos militares olham para algumas delas com carinho, como filhos, porque foram eles que as criaram. Mas eu digo, olha que seus filhos fugiram e hoje estão drogados", disse ele

Para o ministro, Jair Bolsonaro está "dando exemplo de comportamento". "Tem todo o tipo de zumbi em volta dele (Bolsonaro) e não vi recuar em nenhum ponto", garantiu Guedes, que defendeu as privatizações e frisou que o processo não poderá interromper o sistema de infraestrutura que já existe no País.

Para ele, o BNDES deverá atuar, em conjunto com os Estados, nesses processos. "O Brasil era um Saci Pererê, só pulava com a perna esquerda, mas ela estava cansada. Agora vamos pular um pouco com a perna direita", disse Guedes, frisando que o governo foi eleito com essa plataforma. "A democracia é pujante. Deixa a gente trabalhar quatro anos", completou.

Invista melhor seu dinheiro: abra uma conta de investimentos na XP.

(Com Agência Estado)

 

Contato