Em mercados

Eleição no Congresso, Vale e resultados: tudo o que você precisa acompanhar nesta semana no mercado

Confira os principais eventos que vão definir o rumo do mercado nesta semana

Investidor
(Shutterstock)

SÃO PAULO - A semana começa com o noticiário e o mercado repercutindo a tragédia de Brumadinho (MG), onde uma barragem de rejeitos de mineração da Vale (VALE3) se rompeu na tarde de sexta-feira (25), deixando um rastro de destruição ambiental e dezenas de mortos.

O rompimento da barragem ocorreu no feriado de São Paulo, em que a B3 esteve fechada, e fez com que os ADRs (American Depositary Receipts) da companhia tivessem queda cerca de 8%, levando o índice de ADRs Brazil Titans 20, negociado na NYSE, fechasse praticamente estável. Confira o que esperar para as ações da Vale e para o Ibovespa nesta segunda

O mercado também fica atento aos próximos passos do governo há poucos dias da volta do recesso do Congresso e das eleições na Câmara dos Deputados e no Senado. Além disso, os investidores acompanham também a primeira reunião do Fomc de 2019, que deve agitar as bolsas com sinalizações sobre a política de juros nos Estados Unidos.

Na política, atenção especial para as articulações antes da eleição no Congresso, marcada para sexta-feira (1). Até o momento, os favoritos são o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), que concorre à reeleição, e o senador Renan Calheiros (MDB-AL). No Senado, porém, a corrida esquentou nos últimos dias com o anúncio da candidatura de Simone Tebet (MDB-MS).

Além disso, atenção para a nova cirurgia que o presidente Jair Bolsonaro será submetido na segunda-feira (28), para a retirada da bolsa de colostomia, no hospital Albert Einstein. Um gabinete especial será montado no hospital para que o presidente possa realizar seus trabalhos durante o período de internação, estimado em dez dias.

Na agenda de indicadores, o calendário será recheado. Na segunda, o Banco Central divulga os dados do setor externo e, no dia seguinte, os números do crédito, ambos de dezembro. Também na terça, o Tesouro informará os dados fiscais.

Sai ainda na semana o índice de desemprego da Pnad Contínua de janeiro, que segundo projeções da GO Associados deve ficar em 11,5%. Para completar, a agenda conta ainda com a produção industrial de dezembro, que deve ter leve retração de 0,2% no período e recuo de 4,5% no ano, de acordo com a GO.

Por fim, na agenda doméstica, destaque para a temporada de resultados, que começa a ganhar força com três grandes empresas apresentando seus balanços do quarto trimestre: Cielo (CIEL3), Santander (SANB11) e Bradesco (BBDC4).

Agenda externa
No calendário fora do Brasil, destaque para a primeira reunião do Fomc de 2019, na quarta-feira (30), cuja expectativa é de manutenção das taxas básicas de juros. Ainda nos EUA, a GO Associados destaca as publicações da balança comercial de novembro, dos pedidos de bens duráveis e das vendas do varejo de dezembro, todos na segunda-feira (28).

No mesmo dia em que o Fomc divulga sua decisão de juros, também serão apresentados o PIB (Produto Interno Bruto) do último trimestre de 2018
e a variação de empregos privados, conhecido como relatório ADP, de janeiro.

Na Europa, atenção especial para a provável votação do plano B sobre o Brexit (saída do Reino Unido da União Europeia) no Parlamento britânico. O governo está correndo contra o tempo para tentar chegar a um acordo e evitar que no dia 29 de março ocorra um "Brexit sem acordo", que poderia gerar um caos nos serviços de fronteira e nas relações com os países do bloco europeu.

Por fim, na China, na terça-feira (29) serão divulgadas as sondagens PMI industrial e não-industrial do NBS relativas a janeiro. Já na quinta-feira (31), sai o PMI Industrial (Caixin) do mesmo mês, enquanto no sábado (2), saem as sondagens PMI de compostos e de serviços (Caixin).

Clique aqui e confira a agenda completa de indicadores.

Quer investir com corretagem ZERO na Bolsa? Clique aqui e abra agora sua conta na Clear!

 

Contato