Em mercados

Inflação medida pelo IPCA sobe 3,75% em 2018 e cumpre meta

Os principais motores da inflação foram os grupos Alimentação e Bebidas, Transportes e Habitação

inflação calculadora
(reprodução)

SÃO PAULO - O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), que mede a inflação oficial do país, registrou inflação de 3,75% em 2018, ante expectativa de 3,71% conforme expectativa mediana da Bloomberg, ficando acima do esperado. 

O resultado ficou dentro da meta estabelecida pelo governo federal para o ano, que era de 4,5% com margem de 1,5 pp (ponto percentual) para cima ou para baixo. 

Em dezembro, a inflação foi de 0,15% ante estimativa de 0,12% do mercado, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (11) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

No ano, os principais motores da inflação foram os grupos Alimentação e Bebidas, com 4,04% de alta e 0,99 pp de impacto no índice, Transportes, 4,19% e 0,76 pp de participação, e Habitação, 4,72% e 0,74 pp. 

“As maiores variações no ano foram em Habitação e Transportes, além de Educação, com destaque para a alta nos cursos regulares, com 5,68%. Na Habitação, o maior impacto veio da energia elétrica, e, nos Transportes, destaque para a passagem área, a gasolina e o ônibus urbano”, explica gerente da pesquisa, Fernando Gonçalves.

Invista com a ajuda da melhor assessoria do Brasil: abra uma conta na XP - é de graça!

“Alimentação e Bebidas teve o maior impacto no ano por ter um grande peso nas despesas das famílias. O que mais influenciou nessa alta foi o grupo dos alimentos para consumo dentro de casa. Dentro dele o que influenciou foi o tomate, com variação de 71,76% e as frutas, com 14,10%”, acrescentou Gonçalves.

O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980 e se refere às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, e abrange 10 regiões metropolitanas, além dos municípios de Aracaju, Brasília, Campo Grande, Goiânia, Rio Branco e São Luís. 

 

Contato