Em mercados

ENTREVISTA: Brasil não deve eleger um líder "extremamente radicalizado" em 2018, diz Schuler

Cientista político do Insper e curador do "Projeto Fronteiras do Pensamento" foi o entrevistado da parceria "InfoMoney + UM BRASIL"; veja as perguntas que ele respondeu durante a transmissão

SÃO PAULO - A Lava Jato está provocando uma "destruição criativa" no Brasil, que deixará sequelas no curto prazo mas passará nossa política a limpo daqui para frente. Para 2018, certamente devemos esperar um 'outsider' na corrida presidencial, mas dificilmente o brasileiro se inclinará para uma liderança "extremamente radicalizada" - seja para direita ou para a esquerda. Estas foram uma das conclusões da entrevista que o "InfoMoney + UM BRASIL" realizou nesta segunda-feira (17) com Fernando Schuler, cientista político, professor do Insper e curador do "Projeto Fronteiras do Pensamento".

Schuler foi entrevistado pelos jornalistas Thiago Salomão (InfoMoney) e Fabiola Perez (UM BRASIL). Além dos temas ligados ao cenário político, o professor também falará sobre a nova edição do projeto "Fronteiras do Pensamento". 

No vídeo abaixo você confere a íntegra da entrevista que foi transmitida ao vivo na InfoMoneyTV por volta das 14h (horário de Brasília). Veja abaixo do vídeo as perguntas feitas durante a transmissão:

1) Existe uma crise de representatividade no Brasil após a Lava Jato? E o que o eleitor deve esperar em 2018?

2) O ‘’efeito Doria’’, que foi exceção em 2016, se tornará regra em 2018?

3) Como você vê a notícia sobre o pacto dos ex-presidentes para controlar a Lava Jato?

4) Por que o tema "privatizações" ainda é tão carregado de ideologia política?

5) As delações terão forças para mudar o cenário nas próximas eleições? E o que vai mudar na reforma política?

6) A burocracia é um mal necessário para a economia brasileira?

7) Por que a pesquisa feita com habitantes da periferia de SP relatada por você em um texto recente diz tanto sobre como o brasileiro encara a política?

8) Diante do resultado desta pesquisa, é possível dizer que o outsider político esperado em 2018 é reflexo de como a própria sociedade tem se relacionado com a política?

9) Como o projeto Fronteiras do Pensamento vem para atender essa necessidade de discussões sobre política no Brasil?

 

Contato