Em mercados

Ata do Fed mostra que alta de juros nos EUA em dezembro "quase não aconteceu"

"Quase todos os participantes estão agora razoavelmente confiantes de que inflação irá recuar para 2% no médio prazo", mostra a ata da reunião

Janet Yellen - Bloomberg
(Bloomberg)

SÃO PAULO - Apesar da decisão unânime de elevar os juros, alguns membros do Federal Reserve ficaram relutantes em subir as taxas neste momento, mostrou a ata de última reunião do Fomc de 2015, que o Banco Central americano subiu os juros pela primeira vez em quase uma década. Pesou no cenário as leituras de inflação ainda baixa no país e da expectativa de que a inflação pode suavizar ainda mais.

"Quase todos os participantes estão agora razoavelmente confiantes de que inflação irá recuar para 2% no médio prazo", mostra a ata da reunião dos dias 15 e 16 de dezembro. Por outro lado, "alguns membros disseram que a sua decisão de aumentar o intervalo alvo foi por um triz, sobretudo tendo em conta a incerteza sobre a dinâmica da inflação".

A partir de agora, os líderes do Fed concordaram em acrescentar à declaração de política que eles estão "observando o progresso real e esperado" da inflação em direção à meta de 2% com cuidado "por causa de sua preocupação significativa sobre a ainda baixa leitura sobre a inflação real e a incerteza e riscos presentes das perspectivas de inflação".

Além disso, as autoridades concordaram "na importância de comunicar claramente" se o caminho política de taxa de juros no futuro se tornou "mais superficial" devido a uma perspectiva econômica mais fraca ou "íngreme" se a atividade e a inflação tiverem uma alta surpreendente.

 

Contato