Em mercados

Ibovespa inicia pregão em alta, focado em reunião de chefes de Estado na Europa

Expectativa é pelo anúncio de medidas de combate à crise; por aqui, resultados se intensificam com números de Vale e Bradesco

SÃO PAULO – O Ibovespa dá início às negociações desta quarta-feira (26) com ganhos de 0,97%, aos 56.833 pontos, na esteira dos mercados internacionais, ao passo que as atenções se voltam para a reunião dos chefes de Estado da Zona do Euro, prevista para se iniciar às 15h30 (horário de Brasília).

Sem previsão de hora para encerramento, a expectativa é que no encontro seja alcançado um acordo entre os países para combater a crise, com medidas sobre um maior envolvimento do setor privado no segundo pacote de ajuda à Grécia, a ampliação do EFSF (Fundo de Estabilização Financeira) e a recapitalização dos bancos.

No entanto, no momento a chanceler alemã Angela Merkel discursa no Parlamento do país para obter o aval para que se altere as linhas gerais do fundo de resgate, medida que o futuro presidente do BCE (Banco Central Europeu), Mario Draghi, pediu para a implantação imediata. Além disso, a reunião dos ministros de finanças, a qual precederia o encontro dos líderes da região, foi cancelada na última terça-feira.

Ações
Os papéis que registram as maiores altas do Ibovespa nesta manhã são os preferenciais da Telemar Norte Leste (TMAR5, R$ 45,50, +2,39%), ordinários da CSN (CSNA3, R$ 15,00, +2,25%), preferenciais da Brasil Telecom (BRTO4, R$ 11,65, +2,19%), ordinários da Gafisa (GFSA3, R$ 6,16, +1,99%) e da LLX Logística (LLXL3, R$ 3,67, +1,94%).

Análises
O analista gráfico da Gradual Investimentos, Régis Chinchila, ressalta que a queda do Ibovespa na véspera não anula a expectativa do teste de resistência em torno de 57 mil pontos. "A pressão de compra será renovada superando esse patamar, com outra parada em 58600 pontos", escreve em relatório. Por outro lado, algum sinal de queda importante só será observado ao fechar abaixo do suporte de 55.100 pontos, complementa.

Enquanto isso, o head de análise da Ágora Corretora, Marco Melo, alerta que o desfecho da reunião na Europa nesta quarta-feira "será fundamental (ou não) para solidificar um cenário de maior confiança no equilíbrio do mercado de crédito interbancário com reflexos diretos na precificação e balanceamento dos mercados internacionais de renda variável e monetário".

Resultados trimestrais
O pregão também conta com a intensificação da temporada de resultados trimestrais, tanto por aqui, com destaque para os números da Vale (VALE3, VALE5) após o fechamento do pregão e o já divulgado lucro de R$ 2,8 bilhões do Bradesco (BBDC4), como no exterior, onde são reportados números da Ford, Boeing – a qual elevou a sua projeção para o resultado do restante do ano -, entre outros.

Desta forma, a agenda de indicadores pode ser ofuscada, sendo que os pedidos e entregas de bens duráveis nos EUA recuaram menos que o esperado, enquanto o indicador sobre o número de novos imóveis vendidos por lá ainda será anunciado. Por aqui, o destaque fica por conta da nota de política monetária e o fluxo cambial.

 

Contato