Em mercados

Ibovespa acompanha Wall Street e fecha o pregão com alta de 2,08%

Benchmark ganhou força com declarações de Angela Merkel e fechou aos 55.031 pontos, maior pontuação em quase um mês

SÃO PAULO - Revertendo a queda apresentada durante a manhã, o Ibovespa intensificou seus ganhos até o final do pregão, fechando esta terça-feira (18), com forte alta de 2,08%, aos 55.031 pontos, maior pontuação desde 21 de setembro. O giro financeiro nesta sessão foi de R$ 6,12 bilhões.

Por aqui, o destaque ficou com o primeiro dos dois dias de reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), quando será definida o novo patamar da taxa juros brasileira. A expectativa é de uma nova redução na Selic, fato que pode dar um novo gás ao mercado acionário, por reduzir a atratividade da renda fixa e servir como estímulo para a economia nacional. Essa injeção de ânimo, contudo, pode durar pouco, se as perspectivas de desaceleração do PIB (Produto Interno Bruto) e de avanço da inflação persistirem.

A melhora no sentimento de aversão ao risco veio após novas declarações de Angela Merkel. Segundo agências internacionais, a chanceler da Alemanha espera que os líderes europeus desenvolvam um "plano de trabalho" para a Grécia em encontro no dia 23 de outubro, incluindo possivelmente uma missão permanente da "troika" para monitorar a dívida do país.

Contudo, as referências europeias ainda deixam os investidores preocupados com o contágio da crise para as maiores economias do continente. A Moody's alertou na noite anterior que poderá revisar de estável para negativa a perspectiva sobre a nota de crédito AAA da França nos próximos três meses. Já Portugal pode vir a não cumprir sua meta de redução no déficit. Ademais, a Standard & Poor's rebaixou nesta sessão o rating de 24 instituições financeiras italianas.

Fed pode elevar juros
Já nos Estados Unidos, destaque para as declarações do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, afirmando que sua instituição pode ter que elevar as taxas de juros. De acordo com Bernanke, isso ocorria se fosse identificado um potencial risco para a estabilidade financeira dos Estados Unidos.

Destaques
As duas maiores altas ficaram com ativos do Grupo Oi (TNLP3; TNLP4; TMAR5; BRTO4), que já haviam se destacado no campo positivo na véspera. O fechamento de um contrato com a Globosat, que permitirá a Oi TV a transmitir a programação da principal rede televisiva nacional, impulsionou os ativos TMAR5 em 9,70%, aos R$ 42,06. 

As maiores altas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 TMAR5 TELEMAR N L PNA 42,06 +9,70 -10,29 2,11M
 TNLP3 TELEMAR ON 21,83 +7,27 -31,21 12,77M
 OGXP3 OGX PETROLEO ON 12,70 +6,54 -36,50 383,03M
 HGTX3 CIA HERING ON 34,65 +6,29 +30,20 81,04M
 NATU3 NATURA ON 34,77 +5,94 -23,64 39,63M

Na ponta negativa, destaque para a Usiminas (USIM3; USIM5), que viu USIM3 recuar 1,55% aos R$ 24,12.

As maiores baixas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 USIM3 USIMINAS ON 24,12 -1,55 +13,49 14,07M
 BRML3 BR MALLS PAR ON 18,56 -0,75 +9,66 26,08M
 TIMP3 TIM PART S/A ON 8,61 -0,58 +29,52 27,20M
 VIVT4 TELEF BRASIL PN 49,70 -0,54 +34,26 30,62M
 KLBN4 KLABIN S/A PN 5,90 -0,51 +5,18 16,71M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram:

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 VALE5 VALE PNA EDJ 38,80 +0,15 916,10M 778,83M 27.629 
 PETR4 PETROBRAS PN 19,45 +0,78 431,28M 417,06M 21.196 
 OGXP3 OGX PETROLEO ON 12,70 +6,54 383,03M 297,53M 22.914 
 ITUB4 ITAUUNIBANCO PN 31,40 +0,32 292,30M 311,10M 19.114 
 VALE3 VALE ON EDJ 41,55 +0,41 190,94M 208,88M 10.339 
 BBAS3 BRASIL ON 24,00 +2,35 178,15M 173,14M 12.373 
 BBDC4 BRADESCO PN 29,27 +1,63 163,95M 198,70M 10.564 
 PDGR3 PDG REALT ON 6,85 +1,93 135,88M 128,94M 17.282 
 BVMF3 BMFBOVESPA ON 9,89 +1,64 103,38M 139,77M 12.350 
 GGBR4 GERDAU PN 13,89 +3,12 101,58M 111,92M 10.948 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)
 

Agenda
No Brasil, destaque para a divulgação do IGP-10 (Índice Geral de Preços - 10), da FGV (Fundação Getulio Vargas), marcando inflação de 0,64% em outubro. Já a Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) divulgou o IPC-Fipe (Índice de Preços ao Consumidor) referente segunda quadrissemana de outubro, marcando inflação de 0,27%.

Lá fora, chamou a atenção a divulgação dos dados da China. O PIB (Produto Interno Bruto) do país asiático apontou crescimento menor no terceiro trimestre do que no período anterior. Isso piora as perspectivas de que o país asiático deverá sofrer uma desaceleração econômica em breve, fato este que pressionou as ações da Vale (VALE3; VALE5).

Nos Estados Unidos,o PPI (Producer Price Index), índice de preços no atacado, superou as expectativas do mercado. Já o Core PPI, que exclui itens cujos preços são considerados mais voláteis, como energia e alimentos, reportou alta superior as estimativas.

Dólar
Depois de operar parte da sessão em alta, o dólar comercial inverteu sua trajetória na parte da tarde, acentuando suas perdas até o final do dia, em linha com a melhora no humor do mercado. Com isso, a moeda fechou esta terça-feira (18) em queda de 0,73%, terminando cotado a R$ 1,7585 na venda. A melhora no sentimento impulsiona mercados mais arriscados, tirando força dos investimentos tidos como mais seguras, como é o caso do dólar.

Renda Fixa
No mercado de juros futuros da BM&F Bovespa, os principais contratos fecharam em queda nesta sessão. O contrato de juros de maior liquidez nesta terça-feira, com vencimento em janeiro de 2013, registrou uma taxa de 10,47%, 0,08 ponto percentual abaixo do fechamento de segunda-feira.

No mercado de títulos da dívida externa, o título brasileiro mais líquido, o Global 40, fechou com queda de 0,07% em relação ao fechamento anterior, a 131,47% do valor de face.

Já o indicador de risco-País fechou em queda de 3 pontos-base, aos 229 pontos.

Bolsas Internacionais
Nos Estados Unidos, o índice S&P 500, que engloba as 500 principais empresas norte-americanas, fechou em alta de 2,02% e atingiu 1.229 pontos. Seguindo esta tendência, o índice Nasdaq Composite valorizou-se 1,58% a 2.662 pontos, da mesma forma, o índice Dow Jones, que mede o desempenho das 30 principais blue chips norte-americanas, subiu 1,47% a 11.604 pontos. 

Já na Europa, o índice CAC 40 da bolsa de Paris registrou baixa de 0,79% e atingiu 3.141 pontos; no mesmo sentido, o índice FTSE 100 da bolsa de Londres desvalorizou-se 0,48% a 5.410 pontos. Por outro lado, o DAX 30 da bolsa de Frankfurt fechou em leve alta de 0,31%, atingindo 5.877 pontos.

Agenda da próxima sessão
Por aqui, as atenções do mercado se voltam para o pronunciamento do Copom após o fim do segundo dia de reunião, aguardando a definição da taxa básica de juro doméstica.

Já nos Estados Unidos, o investidor fica atento a divulgação do Housing Starts e do Building Permits, que tratam do mercado imobiliário do país. Por lá também veremos a divulgação do CPI (Consumer Price Index) e de seu núcleo, que mensuram os preços ao consumidor referentes ao mês de setembro.

Além disso, a data também marca a divulgação do relatório de Estoques de Petróleo norte-americano, semanalmente organizado pela EIA (Energy Information Administration). O documento tende a influenciar as negociações da commodity. Contudo, a principal divulgação deverá ser o Livro Bege do Fed, relatório sobre o desempenho atual da economia do país.

 

Contato