Em mercados

Ibovespa inicia pregão em alta e se descola de mercados internacionais

Índice segue ganhos registrados na véspera, quando o mercado brasileiro esteve fechado; Europa prepara plano de combate à crise

SÃO PAULO – O Ibovespa inicia o pregão desta quinta-feira (13) no campo positivo, em alta de 1,29%, aos 54.535 pontos, na esteira dos ganhos observados nos mercados internacionais na véspera, quando não houve negociações no mercado acionário brasileiro por conta do feriado nacional.

Na data em questão, o pregão no cenário externo foi impulsionado pelo discurso de José Manuel Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia, o qual defendeu a adoção de uma série de medidas imediatas para combater a crise, a serem discutidas no Conselho Europeu em 23 de outubro.

Entre as propostas, Barroso sinaliza para a recapitalização dos bancos europeus através, preferencialmente, do setor privado, a ampliação do EFSF (Fundo Europeu de Estabilização Financeira) e o aumento na exigência de reserva de capital das instituições.

Além disso, os dois principais partidos da Eslováquia concordaram em aprovar o fundo de resgate europeu até sexta-feira. Caso a aprovação realmente ocorra, o EFSF terá sido aprovado por todos os países membros da Zona do Euro e terá um maior poder de atuação, bem como mais recursos disponíveis.

Por fim, a ata do Fomc (Federal Open Market Committee), publicada na terça-feira, revelou que dois membros do comitê votaram pela ampliação do programa de compra de ativos, o que configuraria uma nova rodada de alívio quantitativo.

Ações
Os papéis que ocupam a ponta positiva do Ibovespa são os ordinários da Redecard (RDCD3, R$ 29,47, +4,10%), preferenciais do Pão de Açúcar (PCAR4, R$ 64,00, +3,48%), ordinários da CSN (CSNA3, R$ 15,00, +3,16%), units do Santander Brasil (SANB11, R$ 13,90, +2,51%) e ordinários da PDG Realty (PDGR3, R$ 6,96, +2,50%).

Análises
O Ibovespa confirmou o rompimento da resistência dos 52.400 pontos na terça-feira, mostrando força compradora, ressalta Régis Chinchila, analista técnico da Gradual Investimentos. "As próximas paradas estão entre 54.000 e 55.100 pontos", escreve em relatório. Por outro lado, a tendência de baixa só será retomada abaixo de 52 mil pontos, alerta Chinchila. 

"Após otimismo na quarta-feira com boas notícias na Europa e possível nova rodada de compras de ativos pelo Fed, mercados cedem nesta manhã com medo de maior participação do setor privado no plano de resgate europeu", pondera a equipe da Fator Corretora em comentário diário.

Europa e EUA em queda
Por outro lado, os índice acionários na Europa e os contratos de juros futuros nos EUA revelam queda nesta quinta-feira, uma vez que o cenário econômico, apesar de tais notícias, permanece incerto, sendo que na Europa os papéis de instituições financeiras caem, uma vez que a exigência por uma maior reserva de capital também pode pressionar o desempenho dos bancos.

 

Contato