Em mercados

Bolsas dos EUA fecham em forte alta, após rali de recuperação no final do dia

Índices ganharam força após a UE afirmar que estuda a recapitalização de bancos; Fed reafirmou apoio à economia local

SÃO PAULO – Após um início de sessão em baixa e de operar em sentidos opostos no intraday, os principais índices acionários das bolsas norte-americanas encerraram o pregão desta terça-feira (4) em forte alta.

O índice Nasdaq Composite, que concentra as ações de tecnologia, fechou com ganhos de 2,95% a 2.405 pontos. O S&P 500, que engloba as 500 principais empresas dos EUA, encerrou o pregão em valorização de 2,25% atingindo 1.124 pontos, enquanto o Dow Jones, que mede o desempenho das 30 principais blue chips norte-americanas, apresentou alta de 1,44% chegando a 10.809 pontos.

Noticiário europeu impulsiona rali no final do dia
As bolsas ganharam força após o ministério das Finanças da União Europeia afirmar no fim da tarde que estuda formas de recapitalizar os bancos, depois das autoridades terem entrado em acordo sobre medidas medidas adicionais necessária para resgatar instituições financeiras de regiões endividadas.

Além disso, o mercado reagiu positivamente ao discurso do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, que reiterou que a instituição continua pronta para tomar medidas para apoiar o crescimento da economia os EUA.

Apesar de ter fechado no positivo, durante quase todo o pregão o mercado seguiu pressionado pelas indecisões sobre o financiamento da dívida na Zona do Euro, já que o Eurogrupo optou por adiar a reunião que definiria a nova rodada de ajuda aos gregos.

Bancos invertem e fecham em alta
Depois de operarem em queda durante quase todo o pregão, pressionados pelas dúvidas quanto à estrutura dos bancos europeus, os grandes bancos dos Estados Unidos reverteram a tendência, acompanhando o desempenho do mercado. Com isso, os papéis do Goldman Sachs (+5,00%), Citigroup (+5,54%) e Bank of America Merril Lynch (+4,16%) dispararam no fim do dia.  

No mesmo sentido, o Morgan Stanley viu suas ações subirem 12,35%, mesmo depois de reduzir sua previsão de crescimento global para este ano e o próximo, por conta do agravamento da crise da dívida na Zona do Euro. O banco antecipou um cenário de recessão na Alemanha e França.

Apple decepciona e não lança iPhone5
As ações da Apple fecharam em queda de 0,56% após a empresa lançar nesta terça-feira (4)  a nova versão do seu smartphone com recursos atualizados, o iPhone 4S . O produto, que apresenta design igual ao do antecessor, desapontou quem esperava um iPhone 5.

No sentido oposto, outras ações do setor de tecnologia registraram ganhos, entre elas os papéis da Nvidia (+9,23%), Texas Instruments (+2,99%) e Intel (+2,91%). 

Confira o desempenho dos principais índices acionários dos Estados Unidos:

% Var Dia Pontos %Var 30D %Var Ano
 Nasdaq +2,95 2.405 -3,04 -9,35 
 S&P 500 +2,25 1.124 -4,26 -10,63 
 Dow Jones +1,44 10.809 -3,84 -6,64 

 

Contato