Nokia não atinge expectativa de vendas e ações caem 14%

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

A finlandesa Nokia, maior fabricante mundial de equipamentos para telefonia, anunciou crescimento menor do que o esperado das vendas de aparelhos celulares para o ano 2000. Os dados divulgados apontam aumento de 64% nas vendas de aparelhos no ano, o que é 8,5% a menos que o esperado pelo mercado em números de aparelhos, contudo é maior que o crescimento do setor, que se expandiu à taxa de 45%.

A Nokia vendeu 128 milhões de telefones celulares, enquanto que o mercado esperava vendas de cerca de 140 milhões de aparelhos, ou seja, as vendas foram 8,5% menores que a projeção inicial. Ao mesmo tempo, o mercado mundial vendeu, em 2000, 405 milhões de unidade, representando crescimento de 45% em relação às vendas do ano anterior. A maior fatia do mercado de telefones celulares é da Nokia, com participação de 31,6%, seguida pela Motorola, com 13,3% de participação no mercado mundial de aparelhos.

No começo de dezembro a Nokia, além de contrariar os costumeiros avisos quanto à revisão negativa de receitas das empresas, ainda anunciou que o crescimento até 2003 deverá variar entre 25% e 35%. Como a empresa não avisou que as vendas poderiam ser menores que a expectativa, o anuncio de vendas de 12 milhões de celulares a menos que o esperado fez as ações da empresa despencar 14,06% em Nova York.

Curiosamente, a gigante Nokia responde por 20% das exportações da Finlândia, um terço de todo o investimento no país com pesquisa e desenvolvimento e ainda 70% da capitalização total da bolsa de Helsinki. Além disso, a empresa em 2000 foi responsável por um quarto do crescimento de 6% do PIB finlandês .

Compartilhe