Ação demolidora

Netflix ganha US$ 1 bilhão na Nasdaq depois de anunciar desdobramento de ações

Companhia que produz séries como House of Cards anuncia que irá desdobrar cada uma de suas ações em 7 e tem forte valorização no Nasdaq

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Um sucesso entre os seus clientes e já visto por muitos como o sucessor da televisão, o Netflix também foi motivo de alegria para os seus acionistas na Nasdaq hoje. O serviço responsável pela produção de seriados como House of Cards, Demolidor, Orange is the New Black e Marco Polo, a companhia anunciou um desdobramento de 1 para 7 em suas ações. 

O objetivo é reduzir o preço de cada papel para torná-lo mais acessível ao investidor do varejo. Custando atualmente US$ 700 por ação, não é todo mundo que consegue investir na empresa. O mercado, ao que parece, gostou da novidade, que deve aumentar a liquidez dos ativos. Nesta quarta as ações sobem 3,41%, a US$ 704,51, o que significa que o papel ficou US$ 23,62 mais caro do que no último fechamento. É o tipo de alta em valor que parece absurdo para quem está acostumado com a BM&FBovespa, já que trazendo ao real significa uma valorização diária de mais de R$ 60 em pouco mais de uma hora de pregão. Em valor de mercado, isso corresponde a US$ 1,354 bilhões de alta. 

O serviço de streaming havia informado em abril que esperava buscar uma aprovação dos acionistas para aumentar suas ações autorizadas e iria recomendar um desdobramento das ações para torná-las mais acessíveis. O desdobramento anterior de ações da Netflix ocorreu em 2004. De acordo com a empresa, as ações começarão a ser negociadas com o preço estabelecido após o desdobramento em 15 de julho.

Aprenda a investir na bolsa

Ainda que os desdobramentos das ações não mudem nada na companhia ou em sua valorização, eles tendem a renovar o interesse pelo papel, puxando para cima o valor dele. O Netflix tem se beneficiado de uma expansão agressiva fora dos EUA, enquanto seu crescimento desacelera no próprio país. A empresa diz que planeja se expandir por todo o mundo até o fim do próximo ano. No último trimestre, começou operações em Cuba, Austrália e Nova Zelândia.

(Com Agência Estado)