Neogrid (NGRD3) lucra R$ 3,5 milhões no 1º trimestre, baixa anual de 11,7%

Receita líquida somou R$ 69,9 milhões no primeiro trimestre deste ano, crescimento de 7,6% na comparação com igual etapa de 2022

Felipe Moreira

Publicidade

A Neogrid (NGRD3), empresa de tecnologia que desenvolve softwares para gerenciamento e sincronização de cadeias de suprimentos, reportou nesta quarta-feira (3) lucro líquido de R$ 3,5 milhões no primeiro trimestre de 2023 (1T23), montante 11,7% inferior ao reportado no mesmo intervalo de 2022.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado totalizou R$ 8,5 milhões no 1T23, uma redução de 2,8% em relação ao 1T22.

A margem Ebitda ajustada atingiu 12,1% entre janeiro e março deste ano, baixa de 1,3 ponto percentual (p.p.) frente a margem registrada em 1T22.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Segundo a companhia, os números são reflexo principalmente da consolidação dos resultados das aquisições realizadas em 2021, que ainda apresentam margens negativas a despeito do crescimento de receita, e das despesas em pesquisa e desenvolvimento de software, com o intuito de melhorar a experiência dos clientes ao utilizar as soluções da companhia.

Leia Mais:

A receita líquida somou R$ 69,9 milhões no primeiro trimestre deste ano, crescimento de 7,6% na comparação com igual etapa de 2022, consolidando as operações orgânicas e os investimentos realizados.

Continua depois da publicidade

O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 5,1 milhões no primeiro trimestre de 2023, uma elevação de 56,1% sobre as perdas financeiras da mesma etapa de 2022.

O lucro bruto atingiu a cifra de R$ 43,5 milhões no primeiro trimestre de 2023, um aumento de 6,8% na comparação com igual etapa de 2022. A margem bruta foi de 62,3% no 1T23, baixa de 0,5 p.p. frente a margem do 1T22.

As despesas gerais e administrativas somaram R$ 12 milhões no 1T23, um crescimento de 7,7% em relação ao mesmo período de 2022.

Ao fim do 1T23, a companhia apresentou posição de caixa de R$ 237 milhões e uma geração de caixa operacional de R$ 6,8 milhões (+17,7% versus o 1T22) representando 0,9 vez Ebitda (1,6 vez se excluídos os efeitos de pagamento do bônus de 2022).