Radar InfoMoney

Negociações para venda da MMX avançam; OGX requisita licença para operar blocos

Além disso, ganha destaque também emissão de bonds pela BRF na Argentina

SÃO PAULO – A semana está chegando ao fim e, mais uma vez, com destaque para o grupo EBX, de Eike Batista. Em meio aos rumores de venda do controle da MMX Mineração (MMXM3) pelo empresário, a coluna Radar, da Veja, destacou que as negociações com a Glencore para fechar o negócio estão bastante avançadas.

Na véspera, a mineradora confirmou que Eike Batista está em tratativas para vender ao menos parte de sua participação acionária na companhia, nesta quinta-feira (5). O mercado há algum tempo especula que Eike deverá vender o controle de suas empresas – e o próprio diretor-presidente da mineradora já admitiu que “trata a venda como um todo”. 

Já a OGX Petróleo (OGXP3) informou que requiriu ao Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), licença de operação para desenvolver e escoar a produção de petróleo dos blocos BM-C-39 e BM-C-40, na Bacia de Campos. Estes blocos contêm os campos de Tubarão Martelo e Rêmora.

PUBLICIDADE

BRF aprova emissão de bonds na Argentina
A BRF (BRFS3aprovou na véspera a emissão de títulos no mercado argentino no valor de 150 milhões de pesos. A operação será feita via a subsidiária Quickfood no mercado de capitais de dívida na Argentina no montante equivalente a 42.968.750 pesos – taxa badlaer mais 2,24% ao ano – 18 meses e 107.031.250 pesos – taxa badlaer mais 3,55% ao ano de 24 a 36 meses.

Gestoras aumentam participação em Mundial e Comgás
A Mundial (MNDL3) informou que a RTI Gestão de Ativos e Investimentos aumentou a participação no capital da companhia para o equivalente a 5,82% do total das ações ordinárias. A soma totaliza 144,197 mil ações. 

Já o Credit Suisse Hedging Griffo atingiu a participação relevante de 5,49% do total das ações preferenciais emitidas pela Comgás (CGAS5), equivalente a cerca de 1,42 milhão de ações e correspondente a 1,19% do capital social, por meio de investidores não residentes e fundos de investimentos. 

BHG anuncia administração de hotel em Santa Catarina
A BHG (BHGR3) comunicou ao mercado a assinatura de um Memorando de Entendimento para o desenvolvimento de um empreendimento hoteleiro com a Ferplan Construtora e Incorporadora, na cidade de Itajaí, em Santa Catarina. 

O Tulip Inn Marina Plaza será construído em um terreno de 1.400 m², com vista para o mar, e a 500 metros do Centro de Eventos de Itajaí e da Avenida Beira Rio. Além disso, estará situado em frente ao futuro Complexo Náutico de Itajaí, um investimento de R$ 38 milhões.  O projeto do hotel prevê aproximadamente 200 apartamentos, auditórios, restaurante, academia e lazer completo.

“Identificamos uma demanda enorme e reprimida por falta de estrutura hoteleira. Itajaí transformou-se no maior polo da indústria naval de Santa Catarina e um dos maiores do Sul do Brasil. A indústria naval, a pesca e o petróleo deram um excepcional impulso à cidade. Além disso, a realização de eventos náuticos esportivos contribui para o desenvolvimento do turismo na cidade ”, afirma Eduardo Bartolomeo, diretor presidente da companhia. 

PUBLICIDADE