Listagem no exterior

Natura (NTCO3) inicia estudos para listagem na Nyse e BDRs na B3 (B3SA3)

Para viabilizar esse processo, a companhia considera criação de uma nova companhia holding, preferencialmente no Reino Unido

Por  Rodrigo Petry -

SÃO PAULO – A Natura (NTCO3) informou, em fato relevante nesta quinta-feira (11), que iniciou estudos para realçar sua presença global com uma mudança de sua listagem primária para a NYSE, ao mesmo tempo em que mantém a dupla listagem por meio de BDRs listados na B3 (B3SA3).

Quarto maior grupo de beleza do mundo, com operações em mais de 100 países, a empresa afirmou que o Conselho de Administração autorizou o Comitê Operacional do Grupo para estudar e apresentar uma recomendação para listagem na bolsa americana.

Para viabilizar esse processo, a companhia informou que está considerando a criação de uma nova companhia holding do Grupo, a ser domiciliada preferencialmente no Reino Unido, onde o Grupo já possui uma presença relevante e onde a The Body Shop e a Avon estão sediadas.

Adicionalmente, ressaltou que a Natura Cosméticos vai continuar a ser sediada e domiciliada no Brasil e a Aesop na Austrália.

Detalhes do estudo de listagem na Nyse

Segundo a Natura, a proposta em estudo contempla que a base acionária da companhia migraria para uma nova companhia holding, por meio de uma reestruturação societária internacional.

Assim, informou, a companhia pretende manter a estrutura de acionária de “uma ação, um voto”.

“Não há garantia de que o Conselho de Administração irá submeter uma proposta de reestruturação societária para os acionistas da Companhia, quando os estudos estiverem concluídos”, completou.

“Qualquer proposta de reestruturação estaria sujeita à anuência da maioria dos titulares de ações em circulação presentes na assembleia de acionistas, nos termos do Regulamento do Novo Mercado”, acrescentou.

Por fim, a Natura reforçou que, se a potencial reorganização for finalmente aprovada pelos acionistas da companhia, os acionistas dissidentes terão o direito de exercer o direito de retirada de acordo com a Lei das Sociedades por Ações.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Expansão da Natura no exterior

No fato relevante, a empresa destaca que “tem orgulho de sua herança e origem brasileira”, mas que agora obtém mais de 70% de sua receita fora do Brasil, após as aquisições do Aesop em 2013, da The Body Shop em 2017 e da Avon em 2020.

“Após a recente reestruturação de capital bem-sucedida, que acreditamos posicionar o Grupo para obter o grau de investimento em um futuro próximo, a potencial reorganização societária seria uma nova etapa do planejamento estratégico do Grupo para continuar a acessar os mercados e investidores globais, enquanto permanecemos comprometidos com os mercados em que operamos por meio de nossas Unidades de Negócios e Afiliadas. Estas permanecerão sediadas em suas jurisdições existentes”, declarou a empresa no fato relevante.

Compartilhe