Nasdaq impulsiona principais bolsas latino-americanas

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

As principais bolsas latino-americanas fecharam em alta nesta sexta-feira, influenciadas pela forte valorização dos índices norte-americanos. Às 15h46 de Nova York, o Nasdaq Composite apresentava forte alta de 6,87%, enquanto o Dow Jones Industrial e o S&P500 registravam variações positivas de 1,37% e 2,21%, respectivamente.
O índice Merval da Bolsa de Buenos Aires fechou em alta de 1,03%, na esperança que o pacote de ajuda externa possibilite a retomada do crescimento do país.
Hoje, a secretaria de Agricultura, Pesca e Alimentação argentina anunciou que os Estados Unidos reabriram o seu mercado para as carnes argentinas, que estava fechado desde agosto, quando se foram registrados casos de febre aftosa no país. O Canadá, parceiro do Estados Unidos no bloco econômico Nafta, também reiniciará a importação de carne argentina em breve. Após a visita do ministro da economia, Jose Luis Machinea, aos banqueiros de Wall Street, a corretora Merrill Lynch resolveu mudar sua previsão de crescimento do PIB argentino de 2001 de 2,1% para 1,3%. Segundo um analista da corretora, o país está numa situação mais grave do que era esperado, e ainda terá que enfrentar, no próximo ano, fatores como eleições parlamentares e a possível demora da retomada do crescimento. Por outro lado, a Merrill Lynch acredita que a Argentina será beneficiada por medidas tributárias que foram aprovadas pelo governo, e que eram condições básicas do FMI para a liberação do pacote de ajuda financeira.
Os destaques de alta da bolsa argentina ficaram para as ações da termoelétrica Central Costanera (+6,15%), do banco BSCH (+4,21%), da Juan Minetti (+4,03%) e da Garovaglio y Zorraquin (+3,08%). Contrariando a tendência da bolsa, as maiores quedas entre os componentes do índice Merval ficaram para as ações da Transportadora de Gas del Sur (-2,63%), da Solvay Indupa (-0,90%) e do Banco Frances del Río de la Plata (-0,28%).

O índice IPC da Bolsa do México encerrou o pregão com variação positiva de 2,65%.
Nesta sexta-feira, o líder do PRD (Partido da Revolução Democrática) afirmou ter obtido do presidente mexicano, Vicente Fox, um “compromisso verbal” de que cerca de 30 bilhões de pesos mexicanos seriam acrescentados no orçamento da educação, saúde e habitação. Vicente Fox negou ter chegado a qualquer tipo de acordo com o PRD para aumento dos gastos sociais e declarou que este tipo de atitude prejudica o processo de negociação do Orçamento. A proposta do Orçamento de 2001, que está sendo discutida na Câmara e no Senado, deveria estar aprovada, segundo as previsões do governo, até os feriados de final de ano. As maiores altas entre os componentes do índice IPC ficaram para as ações das Empresas ICA (+12,43%), do Grupo Industrial Alfa (+8,22%) e do Grupo Sanborns (+6,78%). Por outro lado, os destaques de baixa ficaram para o Grupo Modelo (-2,01%), para as Industrias Penoles (-1,79%) e para o Consorcio Ara (-0,19%).

O ISBVL da Bolsa de Lima fechou em baixa de 0,09%. Foi divulgada hoje uma pesquisa informando que metade da população peruana tem pouca confiança no sistema financeiro do país. Segundo a pesquisa, divulgada pela agência Bloomberg, 37% dos entrevistados não confiam na estabilidade dos bancos peruanos e 46% tem pouca confiança no setor. O número de bancos no Peru vem decaindo e, atualmente, o sistema financeiro peruano é composto por 15 bancos.






















Outros mercados: Brasil Ibovespa +1,01%
Venezuela IBVC -0,40%
Colômbia IBB -0,04%
Chile IPSA-0,60%

Compartilhe