Ata do Copom

Não há espaço para flexibilização da política monetária, diz ata do Copom

Comitê ressalta que há incertezas associadas ao balanço de riscos e que o processo de realinhamento de preços relativos mostrou-se mais demorado e mais intenso que o previsto

Bloomberg) — “Comitê ressalta que, apesar dos avanços no combate à inflação, há incertezas associadas ao balanço de riscos, notadamente relacionadas ao gradual processo de recuperação dos resultados fiscais, e que o processo de realinhamento de preços relativos mostrou-se mais demorado e mais intenso que o previsto. Adicionalmente, que remanescem incertezas em relação ao comportamento da economia mundial.” (Parágrafo 34)

  • “Nesse contexto, o Comitê reitera que adotará as medidas necessárias de forma a assegurar o cumprimento dos objetivos do regime de metas, ou seja, circunscrever a inflação aos limites estabelecidos pelo CMN, em 2016, e fazer convergir a inflação para a meta de 4,5%, em 2017”
    • “Nesse contexto, ressalta que o cenário central não permite trabalhar com a hipótese de flexibilização das condições monetárias”
  • Na ata de hoje:
    • Inflação mostra “alguma desaceleração” em serviços
    • Balanço do setor público encontra-se em zona expansionista
    • Cenário de referência sobe projeção de IPCA 2016 e reduz de 2017
  • Ata da reunião dos dias 07-08/junho
  • Link para ata
  • NOTA: Na semana passada, Copom manteve Selic em 14,25% pela 7ª reunião seguida, em decisão unânime
    • Íntegra do comunicado pós-reunião: “O Copom decidiu, por unanimidade, manter a taxa Selic em 14,25% a.a., sem viés. O Comitê reconhece os avanços na política de combate à inflação, em especial a contenção dos efeitos de segunda ordem dos ajustes de preços relativos. No entanto, considera que o nível elevado da inflação em doze meses e as expectativas de inflação distantes dos objetivos do regime de metas não oferecem espaço para flexibilização da política monetária”
    • “Votaram por essa decisão os seguintes membros do Comitê: Alexandre Antonio Tombini (Presidente), Aldo Luiz Mendes, Altamir Lopes, Anthero de Moraes Meirelles, Luiz Edson Feltrim, Otávio Ribeiro Damaso, Sidnei Corrêa Marques e Tony Volpon”
  • NOTA: Reunião da semana passada foi a última presidida por Alexandre Tombini, que foi substituído por Ilan Goldfajn

 

Esta matéria foi publicada em tempo realapara assinantes do serviço BloombergaProfessional.

PUBLICIDADE