Na dúvida sobre o quanto gastar no Dia dos Namorados? Combine o valor

Assim evitam-se dívidas desnecessárias e o mal-estar de dar aquela “lembrancinha” e receber um “presentão”

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – Comprar o presente do Dia dos Namorados pode ser um problema em vez de algo gostoso de ser feito. Em primeiro lugar, no caso daqueles casais que estão juntos há pouco tempo, é a escolha do presente. De um outro lado estão aquelas pessoas que, de tanto tempo que já formam um par, não conseguem mais diferenciar os seus próprios gostos dos do outro.

Assim como exagerar no produto comprado, gastando absurdos, não é bom para o bolso, tentar economizar ao máximo com a “lembrancinha”, sem pensar em agradar a quem se presenteia, também não é vantagem. Em ambas as situações pode acontecer de você optar por um extremo e a pessoa por outro. Por que, então, não combinar o quanto será gasto?

Sem erro

Dessa forma fica muito mais difícil de errar. E não há mal nenhum em fazer essa combinação, por mais que pareça falta de romantismo.

Imagine dar um sapato de R$ 30 para seu namorado ou namorada e receber um perfume de R$ 350, com você tendo certeza que a pessoa entrou em um parcelamento enorme para conseguir pagar?

Nessas situações, acaba ficando um clima chato, mais pela pessoa que gastou menos do que por aquela que despendeu mais. Nada de mais, então, conversar com a pessoa para definir um valor que economize, além de dinheiro, mal-estar.

Sinceridade

Se você está com o orçamento apertado, seja sincero e diga de quanto dispõe. E explique que não quer, por outro lado, receber algo caro.

E a regra vale para a situação inversa também: respeite o quanto seu namorado ou namorada tem para gastar, sem querer extrapolar para que a situação não fique desagradável.

Compartilhe