MRV tem alta de 55,8% nas vendas e geração de caixa pela 1ª vez em três anos no 4º tri

Geração de caixa na operação Brasil totalizou R$ 190 milhões

Felipe Moreira

Publicidade

O segmento de incorporação do grupo MRV&Co (MRVE3) registrou vendas líquidas de R$ 2,3 bilhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), representando um aumento de 55,8% em relação ao 4T22 e de 4,3% frente ao 3T23. No ano, as vendas líquidas somaram R$ 8,5 bilhões, um aumento de 45% frente a 2022.

A geração de caixa nos três últimos meses de 2023 foi de R$ 137,2 milhões na incorporação. No ano, porém, a empresa apurou um consumo de caixa de quase R$ 195 milhões. A última vez que o segmento registrou fluxo de caixa positivo foi no quarto trimestre de 2020, de R$ 111,7 milhões.

O segmento, que inclui as marcas MRV e Sensia, teve alta no volume de vendas no trimestre encerrado em dezembro (+31,4% na base anual), para 9,4 mil unidades, mas recuo em lançamentos(-46,9% ano a ano) no mesmo período, para 6,6 mil unidades. O valor médio de cada unidade vendida foi de R$ 246 mil, crescimento de 18,6% sobre um ano antes.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

No acumulado de 2023, o segmento de incorporação do grupo lançou 19,9 mil unidades e teve vendas de 36 mil, queda de 40,3% e alta de 17,5%, respectivamente.

A MRV&CO contempla, além da incorporação, as marcas Urba, Luggo e Resia.

Cabe destacar que as ações MRVE3 tiveram forte queda de 11,78% na sessão desta quinta, com especulações sobre a prévia operacional e uma possível mudança de guidance da companhia.

Continua depois da publicidade

Em comunicado respondendo a questionamentos da B3 sobre a forte oscilação das ações, a MRV afirmou não ter ciência do motivo que levou às variações (incluindo não somente esta sessão, como os últimos pregões).

(com Reuters)