Motorola rebaixa expectativa de receita e lucro

Conteúdo do Portal InfoMoney - Editoria Mercados

Equipe InfoMoney

Publicidade

A Motorola, segunda maior empresa mundial de telefonia móvel, anunciou hoje pela manhã que está rebaixando suas expectativas de receita e lucro, tanto para o quarto trimestre deste ano quanto para o primeiro trimestre do próximo ano. Além disso, a Motorola comunicou que só fará previsão de vendas para o próximo ano quando divulgar o resultado acumulado no ano de 2000.

As vendas para no quarto trimestre devem ser de US$ 10 bilhões, com o lucro por ação do período alcançando US$ 0,15, abaixo da primeira estimativa da empresa e do consenso do mercado, que previam vendas de US$ 10,5 bilhões e lucro por ação de US$ 0,27.

A fabricante de celulares e semicondutores prevê que no primeiro trimestre do próximo ano as vendas deverão atingir US$ 8,8 bilhões, enquanto o lucro por ação deverá ser de US$ 0,12. Ao mesmo tempo, preferiu não fazer projeções para o próximo ano antes de fechar a demonstração de resultados de 2000, mas indica tendência de baixar as expectativas iniciais. A Motorola tinha dito inicialmente que as vendas para o próximo ano deveriam atingir US$ 44 bilhões, enquanto o lucro por ação seria de US$ 1,20.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A empresa culpa a redução no crescimento do setor de chips, e o atraso na redução dos custos de produção da linha de telefones sem fio, como as principais causas de seu fraco desempenho. Apesar disso, a Motorola, a exemplo da Nokia, prevê que o crescimento do mercado mundial de telefones sem fio será grande, e que tomará atitudes de contenção de gastos e otimização de suas linhas produtivas para manter as projeções iniciais de crescimento.
Por outro lado, ao contrário da Motorola, a maior fabricante mundial de telefone sem fio Nokia prevê um crescimento de 25% a 35% nas vendas para cada um dos próximos três anos, através da estratégia de inserção no mercado asiático da nova tecnologia CDMA.

Tópicos relacionados