Morgan Stanley, um dos últimos “defensores” do dólar, muda a aposta na moeda

Hedge funds e bancos, incluindo o Goldman Sachs, se tornaram bearish em relação ao dólar em dezembro

Bloomberg

Publicidade

Bloomberg — Morgan Stanley, um dos poucos otimistas com o dólar restantes, rebaixou sua perspectiva para a moeda dos EUA, citando declínio nos rendimentos do Tesouro após a mudança dovish do Federal Reserve.

O banco mudou sua perspectiva para o dólar de alta para neutra, observando que a sazonalidade e posicionamentos a descoberto ainda podem impulsionar ainda mais a valorização.

O banco vinha apostando em um dólar mais forte desde pelo menos meados de novembro, prevendo anteriormente que o Índice do Dólar Spot se fortaleceria cerca de 8% em relação aos níveis atuais no segundo trimestre.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Hedge funds e bancos, incluindo o Goldman Sachs, se tornaram bearish em relação ao dólar em dezembro, depois que o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, sinalizou uma mudança para cortes de juros este ano.

O índice do dólar subsequentemente caiu para uma mínima de cinco meses antes de se recuperar nos primeiros quatro dias de janeiro. Estava em queda de 0,2% na quinta-feira.

“Nossa convicção em relação à força do dólar diminuiu significativamente”, escreveram estrategistas, incluindo David Adams, em uma nota publicada em 4 de janeiro. “A desaceleração dos dados dos EUA reduziu as diferenças de crescimento, as taxas dos EUA têm caído ainda mais em comparação com os pares e os investidores parecem distantes das defensivas com base nos retornos dos ativos.”

Continua depois da publicidade

Fidelity International, JPMorgan e HSBC estavam entre uma minoria de gestores de recursos que se posicionaram contra o consenso em dezembro, alertando que o dólar irá surpreender ao se fortalecer em 2024, enquanto a economia dos EUA se destaca. Uma visão de dólar mais fraco é a maioria entre os analistas consultados pela Bloomberg.

O Morgan Stanley também fechou sua recomendação de negociação de euro-dólar, sugerindo que os investidores assumam uma posição curta de euro-ien ao invés disso. O banco prevê que o iene se valorizará à medida que as taxas dos EUA caírem e o euro cairá à medida que a economia da zona do euro continue a enfraquecer.

“A perspectiva incerta para o dólar não altera os fundamentos das outras moedas G3”, afirmou Adams.

© 2024 Bloomberg L.P.