Moody’s volta a citar a possibilidade de upgrade no rating do Brasil

Agência, que mantém País a um passo do grau de investimento, ressalta a resistência da região à crise e também cita o Peru

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A agência de classificação de risco Moody’s debateu em teleconferência nesta quarta-feira (20) suas perspectivas para os ratings
de países da América Latina. Mauro Leos, analista sênior da instituição, declarou que Brasil e Peru são potenciais candidatos a uma elevação em suas respectivas notas.

Vale lembrar que a Moody’s assume postura mais cautelosa que as demais agências de classificação de risco em relação à região. Enquanto a Standard & Poor’s e a Fitch Ratings ampliaram a classificação dos títulos soberanos do Brasil a grau de investimento no ano passado, a Moody’s manteve a nota do País um degrau abaixo do investment grade.

Na ocasião, a Moody’s ressaltou a exposição de países como Peru e Brasil ao caráter cíclico do mercado de commodities, entre outros fatores. Na teleconferência desta quarta-feira, a agência destacou a capacidade de resistência destes países aos choques provocados pela crise internacional.

Aprenda a investir na bolsa

“De fato, a crise tem mostrado que alguns são mais fortes do que muitos pensavam”, afirmou o analista Gabriel Torres.

Possibilidade reforçada

A possibilidade da Moody’s confirmar a nota cedida no ano passado por Fitch e Standard & Poor’s já havia sido levantada no início deste mês por Leos. No dia 6 de maio, o analista destacou a resistência da região aos impactos da crise de crédito e a política econômica adotada para combatê-los.

“Há resiliência na região. E a resiliência remete às iniciativas destes países no lado fiscal e monetário”, declarou. Naquela ocasião, a Colômbia também foi citada como alvo de um possível upgrade. “Destes países você tem Brasil, você tem Peru, possivelmente Colômbia. São potenciais candidatos a upgrades”, completou.