Balanços

Mobly (MBLY3) tem prejuízo líquido de R$ 25,7 milhões, revertendo lucro na base anual

Companhia viu suas margens minguarem com maiores custos com matérias-primas e com expansão após abertura de capital

Por  Vitor Azevedo

SÃO PAULO – A Mobly (MBLY3) registrou um prejuízo líquido de R$ 25,7 milhões no terceiro trimestre de 2021, revertendo o lucro de R$ 1,9 milhão do mesmo período do ano passado.

O número foi maior também do que o prejuízo registrado no segundo trimestre de 2021, que havia sido de R$ 17 milhões. “Os principais fatores que impactaram na piora do prejuízo do exercício foram os custos com o plano de opções de ações e custos remanescentes referentes à abertura de capital”, explicou a companhia no documento publicado na noite desta terça-feira (9).

Na base anual, a diferença se deu mesmo com a receita crescendo 3,4%, chegando a R$ 186,3 milhões. Em parte, a deterioração do resultado se explica por conta do crescimento do custo dos produtos vendidos, que avançou 8,8%, chegando a R$ 113,6 milhões, impactando as margens da loja de móveis por conta, principalmente, dos maiores gastos com matérias-primas.

“O terceiro trimestre de 2021 foi mais um período desafiador para o setor de móveis e decoração, onde fatores que influenciaram negativamente o segundo trimestre de 2021 se mantiveram, com destaque para a queda na demanda on-line, os aumentos dos custos de matérias-primas e incertezas no ambiente macroeconômico”, afirmou a Mobly.

Após IPO, Mobly amplia gastos para crescer

A Mobly registrou também maior gasto com marketing e despesas com vendas, que avançaram 53,6%, para R$ 28,4 milhões, e com despesas operacionais e administrativas – que chegaram a R$ 18 milhões, alta de 210,1% na base anual, com maiores gastos com funcionários de TI.

A companhia conseguiu melhorar consideravelmente seus gastos logísticos, reduzidos em 25,6%, o que, entretanto, não foi suficiente para evitar a queda da margem Ebitda ajustada, que ficou negativa em 3,9%, ante 7,5% no mesmo período de 2020. O Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado, excluindo os custos da abertura de capital e novo plano de opções, ficou negativo em R$ 7,2 milhões.

A Mobly ainda registrou um prejuízo financeiro de R$ 400 mil – melhorando na comparação com o mesmo intervalo de 2020, quando o prejuízo foi de R$ 4,7 milhões. A companhia, com a sua recente abertura de capital, ainda possui um caixa líquido e reduziu sua dívida bruta na base anual.

Compartilhe