Contra deflação

Ministro japonês faz apelo a empresas: concedam mais aumentos salariais

O governo deveria discutir a ideia de metas salariais como forma de conquistar a deflação, destacam políticos

Por  Estadão Conteúdo

O ministro do gabinete que ajudou o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, a criar o plano de crescimento econômico em vigor no país afirmou que estuda agora estratégias mais drásticas de crescimento, como metas salariais.

“O povo japonês ainda não se livrou da mentalidade deflacionária”, afirma Kozo Yamamoto, que acaba de ser anunciado como ministro encarregado da revitalização regional. “O governo precisa impulsionar a demanda.”

Yamamoto é dos grandes defensores de que o governo precisava de uma combinação de políticas monetária e fiscal para acabar com a deflação no país. Suas ideias ajudaram a formar aquilo que ficou conhecida como “Abenomics”. No entanto, apesar dos trilhões de ienes gastos desde que Abe chegou ao poder, em 2012, os preços ao consumidor tiveram pouca melhora.

O núcleo dos preços, que desconta a inflação dos alimentos frescos, caiu pelo quarto mês consecutivo em junho. Os salários, por sua vez, têm aumentos desprezíveis.

Para Yamamoto, o governo deveria discutir a ideia de metas salariais como forma de conquistar a deflação. Embora os apelos de Abe para que as empresas elevem o salário de seus empregados tenha tido algum efeito, “precisamos reforçar isso”, disse.

“Minha definição de revitalização regional é elevar o salário médio”, disse. Outros economistas, incluindo Adam Posen, presidente do Peterson Institute for International Economics, têm sugerido políticas similares. Fonte: Dow Jones Newswires.

Compartilhe