Commodities

Minério de ferro registra nova alta e se aproxima dos US$ 100 – e um dos motivos é a preocupação com o Brasil

O país é um dos principais exportadores do produto e o fato de se tornar um dos epicentros da pandemia preocupa fornecedores

(divulgação)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O minério de ferro registra mais uma sessão de ganhos nesta segunda-feira (18). Com a alta de 3,1% para a commodity à vista negociada em Qingdao com pureza de 62%, a US$ 96,15, a tonelada, apagou-se a perda registrada no ano. O minério tem ganhos de cerca de 15% em maio, rumando para os US$ 100 a tonelada.

Na bolsa de Dalian, os contratos com vencimento para setembro registravam alta de 5,6%, a 692,50 yuans por tonelada.

Alguns motivos levam à alta do minério. Em primeiro lugar, ela está embalada pela demanda aquecida por parte das siderúrgicas chinesas e pelo aumento dos preços do aço.

Aprenda a investir na bolsa

Vale destacar que a maior demanda ocorre em um momento de restrição de oferta do minério. A preocupação acontece principalmente por conta do Brasil, na esteira das medidas de restrição para conter o avanço da covid-19 no Brasil.

Os receios com o surto de coronavírus que afetam as remessas brasileiras já reduzidas também aumentaram os prêmios para os produtos brasileiros disponíveis com a falta de alternativas viáveis.

O país é um dos principais exportadores do produto e o fato de se tornar um dos epicentros da pandemia, atrás apenas dos EUA, Rússia e Reino Unido, preocupam fornecedores. Os metais também sobem com alta das vendas de moradias chinesas em abril, reforçando ideia de que o maior consumidor de metais do mundo está se recuperando.

Quer viver do mercado financeiro ou ter renda extra? Experimente de graça o curso do Wilson Neto, um dos melhores scalpers do Brasil