Microsoft sobe 6% após divulgação de resultados

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

A Microsoft anunciou há pouco que o lucro do quarto trimestre de 2000 ficou estável em relação ao mesmo período do ano anterior, em linha com a projeção revista dos analistas. Além disso, a empresa prevê queda nas vendas de computadores neste ano, o que pode afetar diretamente seus resultados, pois os softwares instalados nos PCs respondem por 70% das receitas da companhia. No entanto, a composição das receitas, com forte crescimento na linha de softwares corporativos, agradou o mercado, levando à alta de mais de 6% no after-market.
A maior fabricante mundial de softwares e aplicativos lucrou US$ 2,62 bilhões, mais de 7% acima do lucro de US$ 2,44 bilhões no mesmo período no ano anterior. O lucro por ação ficou em US$ 0,47, igual ao registrado no mesmo período em 1999. As receitas cresceram cerca de 8% e atingiram US$ 6,59 bilhões no quarto trimestre em 2000, contra US$ 6,11 bilhões em 1999. Analistas haviam rebaixado as expectativas de resultado do trimestre, revendo a estimativa de lucro para US$ 0,47 por ação e a receita total para US$ 6,51 bilhões, após a empresa anunciar em dezembro que não atingiria os resultados previstos. O anúncio, primeiro em sua história, ocorreu em função da queda nas vendas de microprocessadores pessoais e da redução dos gastos corporativos com tecnologia.

O forte demanda pelo Windows 2000 Professional, Windows 2000 Server e pela família de .NET Enterprise Servers impulsionou as receitas no trimestre, segundo o CFO da empresa, John Connors, que ressalta ainda a supremacia da empresa em relação aos concorrentes no desenvolvimento de soluções empresariais para grandes corporações. Entretanto, o comunicado demonstra a preocupação da Microsoft quanto às previsões de desempenho no curto prazo da economia norte-americana e o impacto disso tanto nas vendas de PCs quanto nas despesas empresariais de tecnologia.
Durante o ano passado, a empresa perdeu importantes executivos de alto escalão, e como se não bastasse, ainda teve de gastar consideravelmente na batalha judicial que envolveu a corporação na disputa pela manutenção da atual estrutura, severamente criticada como sendo um monopólio tecnológico.
As ações da Microsoft fecharam as negociações no pregão regular em forte alta de 4,84%. Contudo, continuaram com bom desempenho nas negociações do after-market da Nasdaq, onde eram cotadas a US$ 58,875 as 20h30 de Brasília, o que representa valorização de 6,08% em relação ao fechamento regular do pregão, acumulando alta de 11,22% em relação ao fechamento de quarta-feira.

Compartilhe