Otimistas demais

Mercados globais cometem 2 equívocos ao serem muito otimistas com Brasil, diz Verde Asset

A primeira, afirma a gestora, é que o real já corrigiu tudo o que deveria; em segundo lugar, é o equívoco de um que um bom ministro da Fazenda coloca o Brasil no caminho do crescimento

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em relatório comentando o desempenho do fundo no mês de junho, a Verde Asset destacou que a visão dos mercados globais sobre o Brasil continua excessivamente otimista. A equipe da gestora de recursos, comandada por Luis Stuhlberger, aponta dois equívocos principais para ter essa visão equivocada sobre o País. 

A primeira, afirma, é que o real já corrigiu tudo o que deveria, e portanto os ativos brasileiros ficaram baratos “em dólar”. Em meio ao cenário de tensão com o mercado de ações chinês e o impasse grego, o dólar chegou aos R$ 3,20 na semana passada, no maior patamar em quase um mês.

Em segundo lugar, afirma o fundo, o outro equívoco é de que um bom ministro da Fazenda (no caso, Joaquim Levy), coloca o Brasil no caminho do crescimento.

Aprenda a investir na bolsa

Assim, a visão da equipe da gestora continua apontando para uma moeda sobrevalorizada — e com um ajuste perverso na conta-corrente, fruto de profunda recessão — e para um modelo de crescimento que não consegue se sustentar ao longo do tempo.

Vemos o investidor estrangeiro com uma permanente vontade de ‘pegar a faca caindo’, mas o ajuste da moeda está longe do fim, e os ativos ainda não estão ajustados para os retornos prospectivos que devem ter, ainda mais com um juro real de mais de 6,5% ao ano”, avalia a equipe de gestores.

O Verde Asset continua comprado em Dólar em 40%, com 20% comprado em ações globais, sem alocação líquida em ações brasileiras, e comprado em juro real e inflação implícita. Em junho, o desempenho da Verde Asset foi negativo em 0,16%, ante 1,06% do CDI. Contudo, no acumulado de 2015, o saldo é positivo: ganhos de 14,82% ante 5,92% do CDI.