Investindo em cripto

Mercado Livre revela que comprou US$ 7,8 milhões em Bitcoin no 1º trimestre

Segundo a empresa, o investimento foi feito no contexto de diversificação de ativos usados na estratégia de tesouraria

(Divulgação)

SÃO PAULO – O Mercado Livre (MELI34) informou junto com seu resultado do primeiro trimestre deste ano que comprou US$ 7,8 milhões em Bitcoin entre janeiro e março.

Segundo o comunicado da empresa, o investimento foi feito no contexto de diversificação de ativos usados na estratégia de tesouraria.

Com isso, o Mercado Livre se une a outras grandes empresas que nos últimos meses também decidiram entrar no mercado de criptoativos. O caso mais conhecido é a fabricante de veículos elétricos Tesla, que no início deste ano revelou um investimentos de US$ 1,5 bilhão em bitcoins.

“Como parte de nossa estratégia de tesouraria neste trimestre, compramos US$ 7,8 milhões em Bitcoin, um ativo digital que estamos divulgando dentro de nossos ativos intangíveis de duração indefinida”, disse a companhia.

Para Marco Castellari, CEO da Brasil Bitcoin, o movimento não chega a ser uma surpresa. “O Bitcoin vem se tornando cada vez mais uma reserva de valor para grandes empresas, principalmente as de tecnologia, como a Tesla, por exemplo. É apenas questão de tempo para que as big techs como a Amazon, Apple, Google, Microsoft e companhia entrem no ‘jogo'”, avalia.

“O que atrai as empresas a comprarem Bitcoin é a sua escassez, portabilidade, imutabilidade e seu processo de deflação. Para elas, é muito mais atrativo manter Bitcoin em caixa do que moedas fiduciárias”, explica o executivo.

Já Ney Pimenta, CEO da BitPreço, lembra que o próprio Mercado Livre já tinha colocado a criptomoeda como forma de pagamento para aquisição de imóveis na Argentina. “O próximo passo que imaginamos é do Mercado Livre começar a aceitar o pagamento em cripto para todos os seus produtos. Tesla e PayPal já entraram no mercado, é uma questão de tempo até outras big techs aderirem”, diz.

O investimento recente de algumas companhias em Bitcoin tem gerado bons frutos, como o caso da Tesla, que em seu balanço do primeiro trimestre reportou um impacto positivo em seu lucro na casa de US$ 101 milhões com a criptomoeda.

Apesar de alguns movimentos de correção recentemente, o Bitcoin segue acima do nível de US$ 55 mil, acumulando, até agora, em 2021 uma valorização de mais de 90%.

PUBLICIDADE

Aprenda tudo sobre BDRs no curso da XPeed e entenda as vantagens de se expor em ativos dolarizados.