Mercado dos EUA puxa bolsas latino-americanas para baixo

Conteúdo do Portal InfoMoney – Editoria Mercados

Por  Equipe InfoMoney

As bolsas latino-americanas fecharam em queda generalizada nesta quinta-feira, influenciadas pela desvalorização dos índices norte-americanos. O Nasdaq Composite encerrou o pregão com uma variação negativa de 2,27%, enquanto o Dow Jones Industrial e o S&P 500 fecharam em baixa de 0,94% e 1,04%, respectivamente.
O índice Merval da Bolsa de Buenos Aires encerrou o pregão em baixa de 1,57%, após a divulgação do índice de desemprego de outubro, que apresentou uma taxa de 14,7%, menor do que a registrada no período anterior. A pesquisa, feita pelo Indec (Instituto Nacional de Estadística y Censos), é realizada durante um período de seis meses. Em maio deste ano, a taxa de desemprego foi de 15,4%.
Nesta quinta-feira, o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) aprovou um empréstimo de US$ 600 milhões para a Argentina; dos quais US$ 400 milhões serão usados para equilibrar o Orçamento e o restante será utilizado para financiar obras de infra-estrutura nas fronteiras do país. Segundo o porta-voz do BID, o empréstimo pode ser considerado parte do pacote de ajuda externa do FMI. Enquanto isso, o mercado espera o anúncio oficial do pacote de ajuda financeira, que, segundo o governo argentino, deverá ser divulgado na próxima semana.
Hoje, o governo argentino reconheceu que o país, neste ano, terá um crescimento de até 0,3%, menor do que a estimativa de 4,5% feita em janeiro.
As maiores baixas entre os componentes do índice Merval ficaram para as ações do Garovaglio y Zorraquin (-10,61%), do Banco Galicia y Buenos Aires (-6,11%) e da Astra Compania Argentina de Petróleo (-5,97%). Contrariando a tendência da bolsa, os destaques de alta ficaram para o Banco Rio de la Plata (+2,67%), para a termoelétrica Central Puerto (+1,01%) e para o Banco del Suquia (+0,84%).
O índice IPC da Bolsa do México fechou em baixa de 0,95%. O mercado continua preocupado com a demora do Congresso para aprovar o Orçamento de 2001. Hoje, o secretário da economia, Luis Ernesto Bautista, anunciou um plano de médio prazo para incorporar as atividades informais a economia. Segundo o El Instituto Nacional de Estadística, Geografía e Informática, a economia informal mexicana gera uma riqueza equivalente a um quinto do PIB do país e emprega cerca de 53% da população economicamente ativa. O ministro disse que é necessário reconhecer a realidade, e garantiu que o projeto não visa, exclusivamente, o aumento da arrecadação de impostos. Os destaques de baixa da bolsa mexicana ficaram para as ações do Grupo Modelo (-3,68%), da Organizacion Soriana (-3,24%) e do Grupo Financiero Banamex (-2,01%). Por outro lado, as maiores altas entre os componentes do índice IPC ficaram para as ações do Grupo Maseca (+3,17%), do Grupo Carso Global Telecom (+2,49%) e do Grupo Bimbo (+1,87%).

O IBB da Bolsa de Bogotá fechou em baixa de 0,15%, acompanhando a tendência dos mercados da América Latina. Hoje, o ministério do comércio exterior da Colômbia aprovou uma medida de proteção ao álcool colombiano, contra o ingresso do produto estrangeiro. A medida, que visa a manutenção da produção interna, limita as compras do álcool produzido em outros países, como o Equador e Venezuela.






















Outros mercados: Brasil Ibovespa -0,21%
Peru ISBVL -0,58%
Venezuela IBVC 0,68%
Chile IPSA0,09%

Compartilhe