Destaques da Bolsa

Melhor ação de março, Gerdau dispara 20% na semana; Vale sobe 4% hoje

Confira os principais destaques de ações da Bovespa nesta sessão e no acumulado da semana

SÃO PAULO – O Ibovespa encerrou nesta sexta-feira (1) acumulando sua sexta alta nas últimas sete semanas, depois de ter marcado em março seu melhor mês desde 2002, em meio à expectativa pelo impeachment e desdobramentos da Operação Lava Jato. Nesta sessão, o índice até operou em queda pela manhã, mas virou para alta puxado pela alta das bolsas americanas e repercussões das investigações conduzidas pelo juiz federal Sérgio Moro. 

Assim como no desempenho diário, as ações da Gerdau e Metalúrgica Gerdau apareceram como as maiores altas do Ibovespa durante a semana. As duas tiveram em março também o melhor mês de suas histórias na Bolsa, com ganhos de 50% e 100%, respectivamente (para conferir as outras 8 ações que quebraram recordes históricos em março, clique aqui). Vale e Petrobras também encerraram a semana em alta. 

Do outro lado, os papéis da Lojas Americanas lideraram as perdas do Ibovespa, com queda de 20%, seguidos por Fibria, Suzano e Klabin, pressionadas pela queda do dólar frente ao real, que encerrou março no menor patamar desde agosto de 2015. No caso da Lojas Americanas, o Deutsche Bank rebaixou na quarta-feira a recomendação das ações para venda, com preço-alvo sendo reduzido em 10%, para R$ 15,00. No relatório, o banco justifica que os papéis estão sendo negociados a um elevado valuation na Bolsa, isto é, estariam “caros”, enquanto o ambiente econômico mostra forte desaceleração e a competitividade segue desfavorável para o setor. 

Confira abaixo os principais destaques da Bovespa desta sessão:

Vale (VALE3, R$ 15,51, +2,38%; VALE5, R$ 11,87, +4,31%)
As ações da Vale dispararam nesta sessão, após rumores de que a mineradora teria finalizado proposta para sair de uma sociedade perdedora que tem com a alemã ThyssenKrupp na siderúrgica CSA, segundo notícia da Reuters. A disparada da Vale veio seguida pelas ações da Bradespar (BRAP4, R$ 6,49, +6,05%), holding que detém participação na Vale, assim como pelos papéis das siderúrgicas Gerdau (GGBR4, R$ 7,00, +7,36%) e Metalúrgica Gerdau (GOAU4, R$ 2,50, +2,88%). O bom humor desses papéis refletiu, além das expectativas pelo impeachment, que segue pautando o mercado, o preço do minério de ferro cotado no porto de Qingdao, que registrou nesta sessão alta de 1,95%, a US$ 54,80 a tonelada.

Pelo plano da Vale, que ainda teria que ser aprovado pelo seu conselho de administração, a companhia poderia vender os cerca de 27% que detém na CSA para sua sócia ThyssenKrupp por US$ 1, e a Vale concordaria em assumir 10% dos passivos da siderúrgica, baseada no Rio de Janeiro, que relatou quase 2,6 bilhões de euros em seu passivo total no final do ano fiscal de 2015, disse uma fonte à Reuters, que pediu anonimato. 

Petrobras (PETR3, R$ 10,53, -0,94%;PETR4, R$ 8,36, +0,12%)
Em meio ao movimento de recuperação do Ibovespa, as ações da Petrobras amenizaram as perdas ao longo do dia, com as preferenciais conseguindo até virar para alta, após ter caído 5% mais cedo, puxadas pelo preço do petróleo. Lá fora, o petróleo 
brent recuava 4,24%, a US$ 38,62 o barril, após a Arábia Saudita informar que o congelamento depende do Irã. Na semana, as ações PNs da estatal fecharam em alta de 7%. 

Veja mais: Rali que fez Petrobras disparar 80% pode ter vida curta

No radar, a Petrobras informou que sua diretoria executiva aprovou um Plano de Incentivo ao Desligamento Voluntário com estimativa de participação de até 12 mil empregados, o que representaria um custo para a companhia de R$ 4,4 bilhões com as demissões, segundo comunicado ao mercado nesta sexta-feira.

PUBLICIDADE

A petroleira afirmou que o objetivo é adequar a força de trabalho às necessidades do Plano de Negócios e Gestão, elevar a produtividade e gerar valor para a companhia, e que há um retorno esperado de R$ 33 bilhões com o plano no período 2016-2020. De acordo com o analista da Haitong Sergio Tamashiro, a notícia é positiva para a companhia em meio ao corte de custos, mas segue com recomendação de venda para a estatal diante do cenário de turbulência política. 

Destaque ainda para a notícia do Estadão de que a principal financiadora da estatal atualmente, a China vem conseguindo, a cada liberação de dinheiro para a petroleira, impor a compra dos seus equipamentos e serviços e desbancar a indústria nacional. Documento obtido pelo jornal mostra que, em financiamento obtido em abril de 2015, a Petrobras se comprometeu a adquirir em produtos chineses o equivalente a 60% do valor total do empréstimo de US$ 3,5 bilhões.

Segundo fonte próxima à estatal ouvida pelo jornal, o mesmo modelo de acordo tem sido replicado em todos contratos firmados mais recentemente com o banco de desenvolvimento chinês, o CDB.

JBS (JBSS3, R$ 10,75, -1,83%)
As ações da JBS caíram entre mau humor do mercado e deflagração da nova fase da Lava Jato. A quebra dos sigilos fiscal e bancários do Grupo Bertin ajudou a Lava Jato a chegar ao pagamentos ao empresário Ronan Maria Pinto, dono do Diário do Grande ABC, preso nesta sexta-feira. O grupo serviu para movimentar os R$ 12 milhões emprestados fraudulentamente pelo pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Lula, no Banco Schahin, em nome do PT. Em 2009, o grupo JBS, dono da marca Friboi, se uniu ao Bertin, em uma operação que vem sendo investigada pela Receita Federal. 

Oi (OIBR4, R$ 1,15, 0,0%)
As ações da Oi fecharam estáveis, depois de terem caído 1,7% mais cedo, reagindo à divulgação da 1ª prévia do Ibovespa nesta manhã, que trouxe a exclusão das ações da operadora, assim como os papéis da Cia Hering (HGTX3, R$ 15,17, +3,13%). 

No radar da Oi, um fundo da Aurelius Capital Management LP pediu a um juiz que proíba a subsidiária da Oi na Holanda de fazer novos empréstimos para a holding, segundo uma pessoa com conhecimento do assunto disse à Bloomberg. 

O fundo Capricorn Capital Ltd. entrou com uma ação em Amsterdã na quarta-feira alegando que a Oi não tem condições de pagar os 2,8 bi de euros que emprestou da unidade, a Oi Brasil Holdings Cooperatief UA, por causa da sua situação financeira delicada. O Capricorn diz, no processo a cuja tradução a Bloomberg teve acesso, que maior parte dos recursos veio de um empréstimo que a Oi Brasil Holdings fez em junho de 2015 de outra subsidiária da Oi, a Portugal Telecom International Finance, ou PTIF. O Capricorn detém mais de 100 mi de euros em valor de face de títulos da Portugal Telecom International Finance, disse a fonte à agência. 

O fundo alega que a Oi Brasil Holdings deve parar de fazer empréstimos adicionais para a sua holding ou outras afiliadas até que ela pague suas dívidas em 2 meses, disse a pessoa. O fundo receia que, com o dinheiro indo para a Oi, ficará difícil para a Oi Brasil Holdings pagar a PTIF quando a dívida vencer em junho. 

PUBLICIDADE

Raia Drogasil (RADL3, R$ 52,95, +1,44%)
As ações da Raia Drogasil subiram após o governo federal autorizar reajuste de até 12,50% nos preços de medicamentos, dependendo da categoria do produto. As empresas fabricantes estão autorizadas a aplicar o aumento desde quinta, conforme resolução da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira.

Papel e celulose
As ações do setor de papel e celulose tiveram desempenho misto nesta sessão, apesar da queda do dólar frente ao real. Enquanto as ações da Suzano (SUZB5, R$ 12,42, -1,90%) apareceram entre as maiores quedas do Ibovespa, a Fibria (FIBR3, R$ 30,60, +0,86%) registrou alta na Bolsa. Enquanto a Fibria foi rebaixadas de overweight para neutra pelo JPMorgan nesta sessão, o Scotiabank elevou sua recomendação para setor para outperform.

Braskem (BRKM5, R$ 24,17, +3,25%)
A Braskem subiu nesta sessão. A companhia anunciou ontem que indicou para o cargo de vice-presidente de Finanças e Relações com Investidores o engenheiro Pedro van Langendonck Teixeira de Freitas. Se confirmado, ele vai suceder Mario Augusto da Silva, que, segundo a Braskem, vai assumir novos desafios profissionais.

B2W (BTOW3, R$ 13,89, -2,87%)
As ações da B2W Digital caiu após terem sido rebaixadas de neutra para venda pelo Citi. 

Especiais InfoMoney:

As novidades na Carteira InfoMoney para março

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa