Renúncia

Mario Monti renuncia ao cargo de primeiro-ministro da Itália

Saída de Monti abre espaço para uma mudança geral no governo italiano; eleições nacionais devem ocorrer em 24 de fevereiro

SÃO PAULO – Confirmando os rumores levantados durante o dia, Mario Monti entregou o cargo de primeiro-ministro da Itália. A saída do político ajuda a abrir espaço para uma mudança estrutural na política do país nas próximas eleições, que estão previstas para acontecer no dia 24 de fevereiro, segundo informações do gabinete da presidência.

O presidente da Itália, Giorgio Napolitano, deve dissolver o Parlamento nos próximos dias. Ele iniciará consultas com líderes políticos já neste sábado para discutir os próximos passos e pediu para que Monti continue no cargo de forma interina até que essas negociações avancem.

No cargo desde 14 de novembro de 2011, Monti foi indicado por Napolitano para formar o governo da Itália. A nomeação foi feita no final de um longo dia de consultas do presidente para assegurar consenso e uma maioria parlamentar a um governo liderado por Monti, que sempre teve muito prestígio no âmbito econômico – antes de ser primeiro-ministro, ele já havia sido comissário europeu durante dois mandatos consecutivos, além de senador vitalício do Senado italiano.

Monti já havia anunciado que sairia do poder assim que o orçamento fosse aprovado – o que ocorreu na manhã desta sexta-feira (21). Há expectativas sobre a posição do ministro sobre sua candidatura às eleições na Itália. Diversos líderes europeus já demonstraram seu apoio ao ministro caso ele se candidate, tendo em vista o progresso conquistado por ele na luta para recuperar o país da crise financeira que se alastra no Velho Continente.