Radar da bolsa

Marcus Elias, da Laep, teme prisão; BB pagará R$ 0,098 por ação em dividendos

Ainda entre os destaques, Itaú Unibanco anuncia a compra da Credicard; Controlada da Itaúsa vende 70% de automação e serviços para japonesa

Por  Paula Barra

SÃO PAULO – Os mercados mundiais digerem nesta quarta-feira (15) os dados da economia da zona do euro, que mostrou contração pelo sexto trimestre seguido, marcando a recessão mais longa da região desde o início da série histórica, em 1995.

Por aqui, chama atenção o destaque corporativo. Na noite da véspera, o Itaú Unibanco (ITUB4) anunciou a compra dos bancos Citicard e da Citifinancial, incluindo a marca Credicard, por R$ 2,767 bilhões. 

A operação conta com uma carteira de crédito, no valor bruto, de R$ 7,3 bilhões, com a data-base 31 de dezembro de 2012, e com uma base de 4,8 milhões de cartões de crédito. A conclusão da operação e o efetivo pagamento dependerão da aprovação dos órgãos reguladores competentes.

“Os clientes da Credicard continuarão a usufruir da mesma eficiência e qualidade no seu atendimento, mantendo-se as bases contratuais atualmente existentes, sem nenhuma alteração em decorrência desta operação”, afirmou o Itaú Unibanco em nota ao mercado.

Marcus Elias, da Laep, teme prisão
A Laep (MILK11), de Marcus Elias, entrou na sexta-feira passada com um mandado de segurança contra o delegado da Polícia Federal, em São Paulo, informou a coluna Radar, da Veja.

O juiz da 6ª Vara Criminal de São Paulo, José Fernandes Neto, indeferiu o pedido. Segundo a publicação, a defesa de Elias teme que seja pedida a qualquer momento a prisão do empresário. 

No mesmo dia, a LBR, que tem como um dos principais acionistas a Laep, protocolou plano de recuperação judicial. O plano da companhia, que tem dívidas de cerca de R$ 1 bilhão, prevê pagamento do valor de face dos débitos, mas quitação do principal só a partir de 2021 no caso de credores com garantia e sem garantia. Credores considerados fornecedores essenciais, como os de leite e de embalagens, serão pagos em até 24 meses, conforme o plano.

BB lucra R$ 2,7 bi no 1° tri e anuncia R$ 0,09 em dividendos
Diversas companhias divulgaram resultados entre a noite de ontem e a manhã desta quarta-feira. O Banco do Brasil (BBAS3) registrou lucro de R$ 2,56 bilhões, com alta de 2,2% em relação ao primeiro trimestre de 2012. Considerando termos recorrentes, o lucro ajustado do banco recuou 0,7%, com R$ 2,7 bilhões na mesma base comparativa. (Para conferir os demais resultados, clique aqui)

Além disso, a instituição financeira anunciou que pagará R$ 0,098 por ação em dividendos do primeiro trimestre. O montante distribuido será de R$ 279,429 milhões. 

A remuneração aos acionistas será realizada no dia 31 de maio, tendo como base a posição acionária de 21 de maio, sendo as ações negociadas ex-dividendos a partir de 22 de maio. 

Controlada da Itaúsa vende 70% de automação e serviços para japonesa
A Itaúsa (ITSA3), controladora da Itautec (ITEC3), anunciou a venda de 70% de participação das atividades de automação bancária e comercial e de prestação de serviços para a japonesa Oki, fabricante de sistemas IP-PBX, call center e impressão.

A operação deve ser concluída em dezembro deste ano, conforme estimativa da Itaúsa, e está sujeita à aprovação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

Marfrig confirma plano de venda de ativos
A Marfrig (MRFG3) animou o mercado ontem com o anúncio de um amplo plano de corte de despesas que prevê uma economia de R$ 250 milhões em capital de giro já neste ano. Como parte da reestruturação, a empresa deve fechar três unidades da Seara Brasil ainda no segundo trimestre e fechar quatro centros de distribuição no País e duas unidades de bovinos na Argentina.

Segundo Sergio Rial, futuro CEO (Chief Executive Officer) da Marfrig, que ainda não assumiu oficialmente o comando da empresa no lugar de Marcos Molina, essa reestruturação anunciada ontem é um reconhecimento de que reduzir o atual nível de alavancagem da empresa não depende apenas de uma melhora operacional. Claramente, a oferta de ações realizada no ano passado pela Marfrig, que levantou cerca de R$ 1 bilhão, não foi suficiente, reforçou.

Multiplan informa novo programa de recompra de ações
A Multiplan (MULT3) divulgou atrás de fato relevante seu programa de recompra de ações. A quantidade a ser adquirida serão 3,6 milhões de ações ordinárias nominativas, sem valor nominal, de emissão da empresa, e sem redução do seu capital social.

O montante representa 4,53% das ações em circulação no mercado da Multiplan. O prazo é de até 365 dias a partir de 15 de maio de 2013.

Segundo a equipe de análise da XP Investimentos, a notícia é positiva pois demonstra a confiança da gestão da empresa de que as ações da companhia são uma boa opção de investimento no médio prazo, ainda que o movimento reduza a liquidez.

Restoque: novo programa de aquisição de ações
A Restoque (LLIS3) aprovou o encerramento do atual e o início de um novo programa de aquisição de ações de emissão da companhia para cancelamento ou manutenção em tesouraria. 

O programa tem quantidade máxima de ações de 17.217.125 ações ordinárias da empresa, já incluindo as 555.200 ações em tesouraria, que correspondem a 10% das ações em circulação da empresa. A duração do programa é de 365 dias.  

Compartilhe