Rumores divergentes

Manutenção dos cortes ou volta da produção? O que esperar da reunião da Opep+ nesta quinta-feira

Informações desencontradas sobre reunião do cartel leva à volatilidade para o mercado da commodity nesta sessão

petróleo bomba plataforma índices preços queda baixa óleo
(Getty Images)

SÃO PAULO – As últimas duas sessões têm sido de volatilidade para o mercado de petróleo, em meio a dados de estoques nos EUA mas, principalmente, por conta das expectativas para a reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados, ou Opep+, nesta quinta-feira (4).

Os investidores acompanham o noticiário sobre um eventual relaxamento dos cortes de produção dos países produtores. Mas, as informações, contudo, ainda são desencontradas.

Ontem, o petróleo WTI para abril fechou em alta de 2,56% (+US$ 1,53), cotado a US$ 61,28 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), enquanto o Brent para maio subiu 2,19% (+US$ 1,37), a US$ 64,07 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE). Isso após informações da Reuters, citando três fontes, de que alguns dos principais integrantes do cartel sugeriram manter a produção em abril, devido à natureza frágil da recuperação da demanda de petróleo.

O cenário, diferente das expectativas do mercado até então, levou ao aumento nos preços do barril na véspera. O consenso anterior era de que a produção seria incrementada em 500 mil barris ao dia, apontou o Commerzbank, além da retirada dos cortes voluntários da Arábia Saudita, o que aumentaria a oferta em 1,5 milhão de barris ao dia no total.

Já nesta quinta, a cotação do petróleo amanheceu com perdas, amenizando posteriormente, depois de novas informações sobre a reunião da Opep+. O Brent recuava 0,5%, a US$ 63,75 dólares por barril, às 8h44 (horário de Brasília), enquanto o WTI caía 0,51%, a US$ 60,97.

A Reuters destacou nesta data a informação de que o mercado esperava que a Opep+ reduzisse os cortes em cerca de 500 mil barris por dia em abril e que a Arábia Saudita encerrasse um corte voluntário adicional de 1 milhão de barris por dia. A intenção dos sauditas, no entanto, ainda não está clara.

“Os preços recuaram à medida que duas questões relacionadas ficaram sem respostas”, disseram analistas da corretora PVM, citando dúvidas sobre o nível de produção saudita e a oferta da Opep no restante do trimestre.

Já fontes consultadas pela Bloomberg apontam que a Opep+ estaria inclinada a realizar uma elevação de produção para conter a rápida elevação dos preços de petróleo, e também refletindo expectativas de que o mercado global consiga absorver barris adicionais por estar em modo de recuperação. Em meio a informações desencontradas, a expectativa é por forte volatilidade no mercado da commodity nesta sessão.

(Com Reuters e Bloomberg)

PUBLICIDADE

Estagnado em sua profissão? Série gratuita do InfoMoney mostra como você pode se tornar um Analista de Ações em 2021. Clique aqui para se inscrever.