Mercado

Manipulação do índice do medo? Denúncia anônima levanta questões sobre oscilação do VIX

Atualmente são US$ 3,5 bilhões em fundos negociados em bolsa (ETFs) e instrumentos financeiros atrelados ao VIX

SÃO PAULO – Um esquema de manipulação do VIX, também chamado de índice do medo, está trazendo risco para todo o mercado de ações e causando prejuízos de centenas de milhões de dólares por mês aos investidores, afirma um escritório de advocacia em nome de um “denunciante anônimo”.

A pessoa representada pelo escritório disse para a SEC (Comissão de Valores Mobiliários) e a CFTC (Commodity Futures Trading Commission) que já ocupou cargos seniores no negócio de investimentos. O denunciante afirma ter descoberto um esquema de manipulação de mercado que aproveita uma falha generalizada no VIX.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

A acusação foi feita por meio de uma carta enviada aos reguladores financeiros dos Estados Unidos. “A falha permite às corretoras com algoritmos avançados a fazerem o VIX subir ou descer…sem necessidade de qualquer negociação ou utilização de qualquer capital”, disse Jason Zuckerman, do escritório Zuckerman Law, na carta.

A Cboe Global Markets, responsável pelo VIX, negou as acusações. “Esta carta está repleta de afirmações imprecisas, concepções equivocadas e erros factuais, incluindo uma interpretação fundamentalmente errada da relação entre o VIX, futuros do VIX e produtos de negociação relacionada, entre outras coisas”, disse uma porta-voz da Cboe, em comunicado.

Um estudo acadêmico publicado no ano passado tentou provar que a definição do VIX é sujeita a manipulação. No mês passado, a Cboe multou uma firma de Chicago acusada de submeter lances impróprios em leilões de volatilidade em contratos de petróleo e ações de mercados emergentes.

O debate não é novo e muito se discute a possibilidade de alguém realmente interferir no indicador. E não é por menos que este tema preocupe as autoridades. São US$ 3,5 bilhões em fundos negociados em bolsa (ETFs) e instrumentos financeiros atrelados ao VIX, de acordo com Eric Balchunas, analista da Bloomberg Intelligence. Centenas de milhares de contratos futuros estão em circulação e são populares entre fundos de hedge e outras instituições.

A carta de Zuckerman afirma que as corretoras têm manipulado o VIX em proveito próprio ao enviarem cotações de opções do S&P 500, sem qualquer negócio correspondente.

Mas William Speth, vice-presidente de pesquisa da Cboe, afirmou que “há salvaguardas estruturais incluídas no processo de cálculo do VIX que impedem o tipo de manipulação alegado na carta”. Ele acrescentou que “nosso grupo de regulação verifica ativamente eventual manipulação do VIX”.

PUBLICIDADE