Corrupção

Mais de 90% dos processos da Operação Zelotes não terá punição, diz procurador

Segundo o procurador Frederico Paiva, responsável pela operação, o MP "não vai conseguir anular os 74 julgamentos. Muita coisa que foi praticada não terá processo. Alguns vão ficar para trás"

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O MPF (Ministério Público Federal) afirmou nesta quarta-feira (13) que cerca de 90% dos 74 casos de irregularidades do Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), e que estão sendo investigados pela Operação Zelotes da Polícia Federal, devem ficar sem punição. Isso porque o Ministério não deve conseguir reunir provas suficientes para provar as acusações. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Segundo a polícia, multas contra empresas somando R$ 19 bilhões tiveram o julgamento alterado pela ação de uma quadrilha que atuava junto ao órgão. Mas, segundo o procurador da República Frederico Paiva, responsável pela operação, o MP “não vai conseguir anular os 74 julgamentos. Muita coisa que foi praticada não terá processo. Alguns vão ficar para trás”.

De acordo com o procurador, várias medidas investigativas sobre a atuação do órgão foram indeferidas pela Justiça, o que dificultou a obtenção de provas. “O Ministério Público não vai conseguir, infelizmente, alcançar 10% dos ilícitos que foram praticados”, afirmou Paiva. “É preciso que o Poder Judiciário entenda que provas contra a corrupção só são obtidas com medidas invasivas. É uma vara que foi criada para acelerar esses processos, e você não vê celeridade. Não se vê uma sensibilização da importância do caso”, concluiu.