Mais 3 mil imóveis serão lançados com preços a partir de R$ 45 mil

Proposta da Rossi faz parte de uma tendência do mercado. Medida parecida já foi tomada pela Gafisa

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – A incorporadora Rossi anunciou nesta semana um plano de ação para o segmento econômico, com previsão de lançamento de 3 mil unidades para este ano, entre os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Os imóveis têm entre 46 metros quadrados e 115 metros quadrados, sendo vendidos a partir de R$ 45 mil. Durante a obra, são R$ 183 mensais, parcela que sobe para R$ 481 após a entrega.

Para 2009, a previsão é de 8 mil unidades, que movimentarão R$ 720 milhões. Já em 2010, serão movimentados R$ 1,08 bilhão, com 12 mil unidades. Para 2011, serão R$ 1,350 milhão e 15 mil unidades.

Tendência de mercado

O aumento de ofertas para as classes de renda mais baixas é uma tendência do mercado imobiliário, conforme especialistas do setor.

Em entrevistada dada recentemente à InfoMoney, o diretor da Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp), Luiz Paulo Pompéia, afirmou que o lançamento de casas e apartamentos do tipo cresceria 30% neste ano, em São Paulo.

Parceria e crédito

É importante lembrar também que a Caixa Econômica Federal informou que, atualmente, 75% de seus recursos para crédito imobiliário são destinados a pessoas com renda mensal de até R$ 1,9 mil. Em 2002, a representatividade era de 25%.

Além disso, o banco firmou recentemente parceria com a Fit Residencial, empresa criada pela construtora e incorporadora Gafisa S.A, para atuar no segmento econômico. O convênio, anunciado no início do ano, previa a construção de seis mil imóveis, com preços de R$ 55 mil a R$ 130 mil.

Classe C/D

Para se ter uma idéia, por conta da maior facilidade ao crédito e da popularização do financiamento imobiliário, a classe formada por representantes das faixas de renda C e D foi responsável pela compra de mais da metade dos imóveis vendidos na capital paulista em março. Dentre casas e apartamentos, foram 2,6 mil unidades, das quais mais de 1,4 mil adquiridas por esses consumidores.

Os dados são de pesquisa divulgada pelo Conselho dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP).

Compartilhe