CBDC nos EUA

Maioria dos americanos se opõe ao dólar digital por temer perda de privacidade, mostra levantamento

Pesquisa de think tank, que é contra a proposta, mostra que pelo menos 66% dos participantes concordam com eles

Por  CoinDesk -

O Cato Institute, que organiza pesquisas de políticas públicas, analisou mais de 2 mil respostas a convite do Federal Reserve dos Estados Unidos para comentar sobre o dólar digital e chegou à conclusão de que dois terços dos entrevistados parecem se opor à ideia.

O think tank libertário com sede em Washington, DC, que se opõe a uma moeda digital do banco central (CBDC, na sigla em inglês) como uma tentativa do governo de controlar o dinheiro das pessoas, descobriu que mais de 66% dos entrevistados levantam preocupações acerca de uma eventual moeda digital americana. Dentre elas, estão a perda de privacidade e danos ao sistema financeiro do país.

O estudo, contudo, mostra que empresas adotam uma visão mais favorável.

“O fato de dois terços dos mais de 2 mil participantes estarem contra a ideia de uma CBDC mostra não apenas que esse não é um problema de nicho – como era há alguns anos –, mas também que os americanos reconhecem o risco que um dólar digital poderia representar para sua liberdade financeira”, disse ao CoinDesk Nicholas Anthony, analista de políticas do Cato, que compilou as estatísticas.

Leia mais:
Dólar digital pode acabar com os bancos, alertam lobistas de Wall Street

Para os defensores de um dólar digital, a visão é de que a moeda poderia beneficiar a segurança nacional na corrida contra concorrentes estrangeiros, além de reduzir os custos ambientais da produção de papel-moeda e melhorar a confiança no sistema monetário, tornando-o mais transparente.

Autoridades do Fed, o banco central americano, que seriam responsáveis por criar e manter um dólar digital, disseram que a agência não agirá sem a aprovação do Congresso e do governo Biden. Alguns, inclusive, previram que levaria pelo menos cinco anos para colocar o plano de pé.

Pesquisadores do Office of Financial Research (OFR) – um braço do Departamento do Tesouro dos EUA que estuda os riscos para o sistema financeiro – analisaram como uma CBDC afetaria o funcionamento interno das finanças dos EUA.

A conclusão, divulgada no início do mês, é de que um pânico no futuro, com as pessoas correndo para transformar seus ativos em dólares digitais, parece ser exagerado. Na verdade, eles descobriram que um dólar digital poderia dar ao governo um sistema de alerta antecipado para sinais de perigo no mercado financeiro.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe