US$ 10 trilhões sob gestão

Maior gestora do mundo, BlackRock se prepara para aderir de vez às criptomoedas

Clientes poderão negociar criptomoedas por meio da plataforma de investimentos Aladdin da empresa, disseram fontes consultadas pela reportagem

Por  CoinDesk -

A BlackRock, maior gestora de ativos do mundo, está se preparando para oferecer um serviço de negociação de criptomoedas a seus clientes, segundo apurado pelo CoinDesk com três pessoas que conhecem os planos de perto.

A empresa com sede em Nova York, que administra mais de US$ 10 trilhões em ativos para instituições, planeja entrar no setor de criptomoedas com “suporte ao cliente para negociação e depois com sua própria linha de crédito”, disse uma das pessoas. Em outras palavras, os clientes poderiam pedir emprestado à BlackRock oferecendo criptoativos como garantia.

A BlackRock se recusou a comentar.

Uma das fontes afirmou que a BlackRock permitirá que seus clientes – que incluem fundos de pensão, doadores e fundos soberanos – negociem criptomoedas por meio da Aladdin (sigla em inglês para Ativo, Passivo, Dívida e Rede de Investimentos Derivativos), sua plataforma de gestão integrada de investimentos. Ainda não está claro quando o serviço poderia ser lançado.

  • Assista: Queda do Bitcoin terminou? Vale a pena comprar? Analistas respondem no Cripto+

A gestora pode ter dado indícios dos seus planos em junho do ano passado, quando abriu vaga para contratação de um líder de estratégia blockchain para a Aladdin. Atualmente, é de conhecimento público que os bancos de Wall Street e grandes instituições financeiras estão se aproximando das criptomoedas, com empresas como Goldman Sachs, Morgan Stanley e Citi escolhendo cuidadosamente as estratégias para explorar o setor.

A BlackRock já sinalizou positivamente o mercado sobre sua posição em relação às criptomoedas, incluindo a negociação de futuros de Bitcoin (BTC) da bolsa de derivativos Chicago Mercantile Exchange, conforme um registro na Comissão de Valores Mobiliários dos EUA.

A empresa também tem planos de lançar o iShares Blockchain and Tech ETF, um fundo negociado em bolsa que acompanha um índice composto por empresas envolvidas em tecnologias de criptoativos nos EUA e no exterior.

A BlackRock também possui 16,3% da MicroStrategy, empresa que tem aquisições de Bitcoin anunciadas com com regularidade pelo CEO, Michael Saylor.

Uma segunda pessoa com conhecimento dos planos disse que a BlackRock está “procurando entrar em ação total com cripto” e estava “procurando fornecedores no setor”.

Uma terceira pessoa se referiu a um grupo de trabalho de “aproximadamente 20 ou mais pessoas” dentro da BlackRock que está avaliando o mercado de criptomoedas, acrescentando: “Eles veem todo o fluxo que todo mundo está recebendo e querem começar a ganhar algum dinheiro com isso”.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receba a Newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe