Crise

Maduro quer usar criptomoeda para combater inflação de 1.000.000% na Venezuela

Segundo Maduro, a medida busca "facilitar as transações financeiras" e "proteger" a moeda local

SÃO PAULO – O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou na última quarta-feira (27) um novo “programa de recuperação econômica”, mudando a moeda em circulação no país e vinculando a nova divisa à criptomoeda estatal Petro. O plano visa combater a hiperinflação que está acabando com o país, que segundo o FMI (Fundo Monetário Internacional) deve chegar a 1.000.000% este ano.

Maduro decidiu criar o bolivar soberano, que irá substituir a atual moeda do país, o bolivar, cortando cinco zeros do valor atual da divisa. Além disso, em pronunciamento, o presidente disse que este novo meio de pagamento da Venezuela estará “ancorado” à criptomoeda estatal Petro, lançada em fevereiro e com lastro no petróleo.

Segundo ele, a nova moeda entra em circulação em 20 de agosto. A expectativa era de que o bolivar soberano iria cortar quatro zeros da atual moeda, mas o presidente decidiu mudar isso na última hora. Maduro disse que este programa irá mudar as finanças do país de “forma radical”.

Segundo Maduro, a medida busca “facilitar as transações financeiras” e “proteger” a moeda local. “Cinco zeros a menos, para que tenhamos um novo sistema financeiro e monetário de estabilidade”, afirmou em pronunciamento.

O presidente venezuelano justifica a atual crise e a hiperinflação no país a uma suposta “guerra” contra a moeda local, que inclui a retirada de cédulas da Venezuela para outros países, como a Colômbia.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear