Resultado

Lucro da Petrobras (PETR4) sobe 37% e chega a R$ 9,08 bilhões no 3º trimestre

A expectativa do lucro ajustado do consenso Bloomberg era de R$ 8,4 bilhões

arrow_forwardMais sobre
Petrobras
(Shutterstock)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A Petrobras (PETR3; PETR4) teve um lucro líquido de R$ 9,087 bilhões no terceiro trimestre de 2019, informou a estatal nesta quinta-feira (24) – uma alta de 36,8% ante o mesmo período do ano passado, quando teve lucro de R$ 6,644 bilhões.

O resultado ficou acima da média das projeções compiladas pela Bloomberg, que apontava para lucro de R$ 8,410 bilhões.

Sobre o segundo trimestre, houve uma queda de quase 52% no lucro, que foi de R$ 18,8 bilhões. Essa diferença se deu porque entre abril e junho houve um grande impacto da venda da TAG sobre os números da empresa.

Aprenda a investir na bolsa

Além disso, o menor resultado, de acordo com a estatal, se deu pelas despesas com imposto de renda e contribuição social no terceiro trimestre decorrente da baixa de ativos fiscais diferidos no exterior, que por outro lado, foram parcialmente compensadas pelo ganho com a venda das ações da BR Distribuidora.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado, por sua vez, avançou 9,1% em um ano, passando de R$ 29,856 bilhões para atuais R$ 32,582 bilhões.

Essa melhora ocorreu apesar da queda do preço do barril de petróleo tipo Brent, segundo a empresa, por conta da “captura de maiores margens no diesel e no GLP, os maiores volumes de exportação de óleo e de venda de diesel no Brasil, além dos ganhos com derivativos das operações offshore de óleo e derivados”.

Enquanto isso, a receita de vendas da petrolífera teve um recuo de 13,5%, chegando a R$ 77,051 bilhões entre julho e setembro.

Segundo a estatal, em termos da composição da receita de vendas, o diesel continua sendo o produto mais relevante, representando 51% do total, um aumento de 2,6% com relação ao trimestre anterior, seguido da gasolina, com 20% das vendas, uma queda de 8,7% na comparação trimestral.

A dívida líquida da estatal teve um recuo de 9,9% desde o fim do segundo trimestre, chegando a US$ 75,419 bilhões, mas ainda acima dos US$ 72,888 apresentados um ano antes.

PUBLICIDADE

No release, a empresa explica que esta redução trimestral foi possível por conta da “sólida geração de caixa e o menor saldo de arrendamentos mercantis”.

A Petrobras reforçou ainda que “a desalavancagem é prioridade” e que tem a meta de reduzir seu índice dívida líquida/EBITDA ajustado para 1,5x em 2020, sendo que, em 30 de setembro, este valor era de 2,58x.

Os investimentos no período totalizaram US$ 2,6 bilhões, uma queda de 33% ante o mesmo período do ano passado.

Deste total, mais de 75% correspondentes a investimentos de capital, que são aqueles com o objetivo de aumentar a capacidade de ativos já existentes, implantar novos ativos, escoamento e armazenagem, aumentar eficiência ou rentabilidade do ativo e implantar infraestrutura essencial para viabilizar outros projetos de investimento de capital.

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos