Memória

Lenda de Wall Street, “às” do Bears Sterns Alan Greenberg morre aos 86 anos

Greenberg, que ficou cerca de 50 anos no Bears Sterns, transformou a instituição em uma das maiores casas de investimentos de Nova York, mas também estava lá quando ela colapsou

SÃO PAULO – Considerado um dos maiores ícones entre os traders de Wall Street nas últimas décadas, o executivo Alan Greenberg, que estava na presidência do Bear Sterns quando o banco quebrou, em 2008, morreu hoje aos 86 anos de idade em Nova York. Seu filho Theodore, disse ao jornal New York Times que seu pai morreu de complicações devido a um câncer.

Greenberg, que ficou cerca de 50 anos na instituição, transformou o banco em uma das maiores casas de investimentos de Nova York, para depois vê-la colapsar antes do pico da crise que explodiu nos EUA por causa da bolha do “subprime”. O executivo era conhecido como o “Às de Wall Street”, por ter sempre um baralho de cartas numa das gavetas de sua mesa. 

Nascido em Oklahoma City em 1927, Greenberg era um “improvável vencedor” em Wall Street. Ele não tinha um diploma das principais universidades americanas, mas conseguiu chegar ao topo em uma das maiores instituições financeiras. 

O executivo entrou no Bear como bancário em 1949, sendo nomeado presidente executivo em 1978, presidente do conselho de administração em 1985 e, em 2001, assumindo a presidência não executiva. Em 2008, o Bear Sterns foi incorporado pelo JPMorgan, depois que clientes debandaram em massa diante de rumores da quebra da instituição financeira em meio ao mau desempenho dos fundos do mercado imobiliário, então em queda livre. Greenberg foi mantido como presidente emérito da instituição. Com a incorporação sendo concluída pelo JP Morgan Chase, em 2010, a marca Bear Stearns deixou de existir. 

Depois da queda do banco, foram escritos alguns livros, como “The Rise and Fall of Bear Stearns” (2010), considerado como as memórias de Alan Greenberg, em co-autoria com Mark Singer, e “House of Cards: A Tale of Hubris and Wretched Excess on Wall Street” (2009) de William D. Cohan.